A maioria dos analistas do mercado financeiro estão preocupados com o “o que é”. O que nos diferencia é que pensamos “o que pode ser, e ainda não é”. E o Brasil “pode ser” muito melhor em 2017 e adiante.

Você se lembra da crise de 2008? Quando o Brasil saiu daquela fase, tudo parecia caminhar bem. Só que o sucesso daquele momento, se transformou numa grande mazela dali em diante.

O governo sabia que estava gastando mais do que podia, e ainda assim, seguiu em frente. Eles se acharam superiores à cartilha ortodoxa da economia, que mantinha as coisas nos trilhos.

Documentário gratuito recomendado: Brasil – Aquilo que ninguém quer que você saiba

Com o problema crescendo mês a mês, e o período eleitoral se aproximando, muitos gastos públicos começaram a ser escondidos (as chamadas pedaladas fiscais). O motivo? Interesses eleitoreiros. Afinal, não cai bem mostrar que as coisas estavam caminhando para o abismo em plena campanha política.

O plano Real e a estabilização da economia foram colocados em risco. Inflação, desabastecimento, empresas estatais em vias de quebra. O resto você sentiu na pele.

O que assistimos em nosso país de 2014 em diante foi um festival de erros que culminou numa das maiores crises já vistas pelos brasileiros.

Entender esse quadro é fundamental para o seu futuro financeiro

Compreender o que aconteceu, em que momento econômico o nosso país se encontra, e o que “poderá acontecer” daqui em diante, tem implicações diretas no seu bolso e no bem estar de sua família.

As crises são muito ruins, mas também são geradoras de oportunidades espetaculares; algumas únicas em toda uma vida.

E já que o estrago foi feito, agora nos resta aproveitar as formas possíveis de lucrarmos com a situação. Isso não só é possível, como está ao alcance de todos.

Basta um mínimo de tempo e interesse para aprender algumas formas de posicionar seus investimentos para tirar um proveito máximo de tudo isso.

Documentário: O Contragolpe

Para facilitar a disseminação deste aprendizado e também mostrar como devemos enxergar o Brasil de agora em diante, produzimos um documentário em vídeo.

Este material vai ajudar você a enxergar aquilo que insistimos em alertar, quando ainda havia tempo de se tomar algumas providências.

Apesar das inúmeras ameaças que recebemos, o recado foi dado. Aqueles que entenderam, não apenas se protegeram financeiramente, como ganharam muito dinheiro também.

Agora continuamos nossos alertas, nesta outra fase da crise, onde também existem ótimas oportunidades para você lucrar ainda mais, ou recuperar o que perdeu por deixar de agir na hora certa.

Não temos “bolas de cristais”. Temos fatos à nossa disposição. Se forem bem interpretados, criam condições de realizarmos alguns investimentos com um bom gerenciamento de riscos e retornos.

Hoje, se apostarmos no Brasil e as coisas derem errado, as chances de perdermos são poucas. Por outro lado, se derem certo, ganharemos muito, e isso é investir de forma inteligente. Clique aqui e assista ao documentário completo.

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.