Home Empresas Ericsson faz baixa contábil de US$3 bi; vê queda de 39% no lucro trimestral

Ericsson faz baixa contábil de US$3 bi; vê queda de 39% no lucro trimestral

A maior divisão da Ericsson, a Networks, viu as vendas orgânicas recuarem 16%

por Reuters
3 min leitura

A Ericsson anunciou nesta quarta-feira uma baixa contábil de 32 bilhões de coroas suecas (2,9 bilhões de dólares) relacionada à aquisição da Vonage no ano passado.

A empresa sueca de equipamentos de telecomunicações comprou a Vonage em um negócio de 6,2 bilhões de dólares.

“O impairment (diminuição de valor de ativo) é consequência da queda significativa na capitalização de mercado dos pares de capital aberto da Vonage, do aumento da taxa de juros e da desaceleração geral nos principais mercados da Vonage”, afirmou a Ericsson em comunicado.

“O impairment representa 50% do valor total do goodwill (ágil) e outros ativos intangíveis atribuídos à Vonage.”

Além disso, a Ericsson informou nesta quarta-feira que, de acordo com dados preliminares, seu lucro operacional antes de amortização e encargos de reestruturação e de efeitos do impairment caiu 39% no terceiro trimestre, para 4,7 bilhões de coroas suecas.

As vendas do grupo, ajustadas para unidades comparáveis e para efeitos de conversão cambial, caíram 10%. A maior divisão da Ericsson, a Networks, viu as vendas orgânicas recuarem 16%.

“As vendas orgânicas da Networks caíram 60% na América do Norte ante o ano anterior, com as operadoras reduzindo seus investimentos e ajustando os estoques”, disse a empresa.

O grupo, que agendou a divulgação de seu balanço completo para 17 de outubro, afirmou que espera uma margem operacional de 7,3% antes de amortização e encargos de reestruturação, em linha com uma projeção anterior.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.