Home Empresas Escândalo automotivo no Japão cresce e Toyota suspende entregas

Escândalo automotivo no Japão cresce e Toyota suspende entregas

A Toyota disse que ainda está investigando questões relacionadas à eficiência de combustível e às emissões de poluentes dos veículos

por Reuters
0 comentário

O escândalo dos testes de segurança nas montadoras japonesas se ampliou nesta segunda-feira, com Toyota (TM; TMCO34) e Mazda suspendendo as entregas de alguns veículos depois que o Ministério dos Transportes do Japão encontrou irregularidades nos pedidos de certificação de determinados modelos.

As irregularidades também foram encontradas em encomendas da Honda, Suzuki e Yamaha Motor, informou o ministério. Uma investigação descobriu que as montadoras apresentaram dados de testes de segurança incorretos ou manipulados quando solicitaram a certificação dos veículos.

O ministério ordenou que a Toyota, a Mazda e a Yamaha suspendessem as remessas de alguns veículos. O ministério disse que realizará uma inspeção no local na sede da Toyota, na província de Aichi, na terça-feira.

As últimas revelações foram feitas depois que o ministério solicitou às montadoras, no final de janeiro, que investigassem os pedidos de certificação após um escândalo de testes de segurança na unidade de carros compactos Daihatsu da Toyota, que surgiu no ano passado.

É provável que os acontecimentos de segunda-feira também aumentem o foco na assembleia geral anual da Toyota no final deste mês.

As influentes empresas de consultoria Institutional Shareholder Services e Glass Lewis recomendaram que os acionistas votem contra a reeleição de Akio Toyoda como presidente da empresa.

Em um relatório aos acionistas, a ISS destacou a “série de irregularidades de certificação” no Grupo Toyota.

“Como responsável pelo Grupo Toyota, gostaria de pedir sinceras desculpas aos nossos clientes, aos fãs de carros e a todas as partes interessadas pelo ocorrido”, disse Toyoda, neto do fundador da montadora e seu ex-diretor executivo, em uma coletiva de imprensa.

Toyoda disse que os carros não passaram pelo processo correto de certificação antes de serem vendidos. A maior montadora do mundo em volume disse que suspendeu temporariamente os embarques e as vendas de três modelos de carros fabricados no Japão.

Toyota
(Imagem: unsplash/Akshar Patel)

Os escândalos nas montadoras estão provando ser um ponto sensível para o governo, que, de outra forma, recebeu elogios de investidores e executivos por suas reformas corporativas. Yoshimasa Hayashi, o principal porta-voz do governo japonês, chamou a má conduta de “lamentável”.

Queda das ações

A Toyota disse que o erro ocorreu durante seis testes diferentes realizados em 2014, 2015 e 2020.

Os veículos afetados foram três modelos de produção o Corolla Fielder, o Corolla Axio e o Yaris Cross – e versões descontinuadas de quatro modelos populares, incluindo um vendido sob a marca de luxo Lexus.

Em um exemplo, a empresa mediu os danos causados por colisão em um lado do capô de um modelo, embora fosse necessário fazê-lo em ambos os lados.

Em outros casos, a empresa disse que realizou determinados testes por meio de testes de desenvolvimento sob condições mais rigorosas do que as estabelecidas pelo ministério, que não atendiam às exigências do governo.

A Toyota disse que ainda está investigando questões relacionadas à eficiência de combustível e às emissões de poluentes dos veículos e que pretende concluir essa investigação até o final de junho.

A montadora acrescentou que não houve problemas de desempenho que violassem os regulamentos e que os clientes não precisavam parar de usar seus carros.

As ações da Toyota fecharam em queda de 1,8%, com desempenho inferior ao ganho de 0,9% do índice Topix.

Já a Mazda suspendeu as entregas do esportivo Roadster RF e do hatchback Mazda2 a partir da quinta-feira da semana passada, depois de descobrir que funcionários haviam modificado os resultados dos testes do software de controle do motor, disse a empresa.

A montadora também descobriu que os testes de colisão dos modelos Atenza e Axela, que não estão mais em produção, foram adulterados com o uso de um cronômetro para acionar os airbags durante alguns testes de colisão frontal, em vez de confiar em um sensor de bordo para detectar uma batida.

As ações da Mazda caíram 3,3%.

A Yamaha informou que suspendeu as entregas de uma motocicleta esportiva.

A Honda disse ter encontrado irregularidades em testes de ruído e saída durante um período de mais de oito anos até outubro de 2017 em cerca de duas dúzias de modelos que não estão mais sendo produzidos.

Dinheirama

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.