Estratégias de marketing e branding em sua empresaPromover uma mudança ou apenas implementar uma nova estratégia em uma empresa grande, com muitos funcionários, é algo que nem sempre acontece com muita facilidade – embora a necessidade de tal ação seja reconhecida. Isso acontece devido à dificuldade que existe em transmitir os valores da empresa para cada um que ali trabalha e por conta dos custos para se fazer isso.

O bom é que essa realidade é totalmente diferente quando falamos de micro e pequenas empresas, na qual a interação e a convivência direta entre todos os funcionários é grande. Neste cenário, a possibilidade de uma ação dar certo é muito alta. Escrevo este artigo porque acredito que os empreendedores[bb] devem sempre apostar em estratégias ousadas de marketing e de branding para as suas empresas se tornarem diferentes das demais. Para se destacarem! Para serem notáveis!

Falando assim, parece que estratégia é um assunto para especialistas. Não é não. As duas estratégias mais comuns, as que a grande maioria das empresas utiliza para se diferenciar das demais e para ganhar mais clientes são:

  • Diferenciação por preço baixo: reduz-se o valor das mercadorias para atrair o cliente e vender maiores quantidades;
  • Diferenciação por valor agregado: adiciona-se algum serviço ou produto a algum de seus produtos. Como exemplo, lembre-se do “se você comprar tal coisa, terá garantia de três anos, instalação gratuita e ainda leva para casa um aparelho de DVD[bb] de brinde”.

E qual o problema de utilizar essas duas estratégias tão enraizadas no nosso cotidiano? Afinal, quem não conhece os grandes varejistas e supermercados que baixam o preço de seus produtos e atraem os clientes por todo o fim de semana? Mas, e depois desse final de semana, será que os clientes sempre voltam àquela loja ou escolhem o mercado mais barato do dia?

E as marcas de eletrônicos que vendem seus produtos, atribuindo ao cliente alguns (muitos) meses de garantia para uso daqueles aparelhos com muita tranquilidade e ainda agregam vários serviços àquela venda? Há algo errado? Nada, tudo está certo. Os produtos eletrônicos devem sim ter garantia para o caso de estarem com defeito. Mas, creio, essas não podem ser as únicas estratégias de uma empresa.

Aprendi na faculdade, no trabalho e na vida que nada está completamente certo e nada está completamente errado. O bom é misturar o que há de bom em cada ideia, em cada teoria, em cada pesquisa, refletir se aquilo é aplicável e sair usando para o que você precisar. É o que chamamos de MIX. Aprenda a fazer um e utilize o seu!

Voltando ao problema
O grande problema dos dois tipos de estratégias citados acima é que elas são facilmente copiadas pelos concorrentes, o que torna sua empresa e seu competidor iguais em pensamento e no que oferecem ao cliente. Em outras palavras, negociar com você ou com qualquer outra será indiferente para o cliente.

Você pode viver assim, crescer e sustentar toda a sua família dessa forma. Você pode enriquecer assim, não há dúvida. Tratam-se de modelos que funcionam, mas, como eu disse, podem haver outras estratégias que, combinadas a esses métodos usuais, façam de você um empresário de ainda mais sucesso. Sua função é ouvir, experimentar, pesquisar, realizar. Sua estratégia deverá ser sempre um apanhado das melhores ideias.

E o que não pode faltar?
No meu entender, a estratégia[bb] que considero fundamental a ser utilizada em seu mix de estratégias é a diferenciação por personalidade da marca! Diferenciação pela identidade. Abaixar os preços todo o mundo consegue. Agregar novos valores ao produto também. Mas, e mudar a atmosfera da marca, algo que é intangível, que não é palpável e nem comum? Será que algum concorrente conseguirá copiá-lo? A resposta é: dificilmente! E isso gera uma imunidade competitiva imensa.

“Ela (a diferenciação por personalidade) propõe que sejam criados diferenciais intangíveis, emotivos, que provoquem o lado emocional do consumidor, de modo que ele dê sua preferência para a marca por atribuir alto valor ao que ela representa emocionalmente para ele, seja em termos pessoais ou sociais. Por este modelo, o consumidor ou cliente irá pagar mais pelos produtos desta marca, gerando mais lucro para a empresa” (A. Nascimento e R. Lauterborn, livro “Os 4 Es de Marketing e Branding”; Elsevier,2007)

Para que a identidade da sua empresa seja marcante, você tem de conquistar pelo menos quatro fatores humanos:

  1. As pessoas precisam gostar da marca;
  2. As pessoas precisam compreender e aceitar a proposta ou a história da marca;
  3. As pessoas precisam aceitar pagar pela marca;
  4. As pessoas precisam se sentir valorizadas em seus círculos sociais, em função da aquisição ou consumo da marca.

Será que esse texto fez você pensar melhor sobre como está cuidando da imagem e das vendas da sua empresa? Que tal compartilhar sua opinião e suas decisões em relação ao mix de estratégias para conquistar e fidelizar seus clientes? Fico aguardando o seu comentário para darmos sequência ao assunto. Um abraço e até a próxima.

Crédito da foto para stock.xchng.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários