Home Empresas Exportação de serviços no Brasil cresce 12,2%; recorde de R$ 42 bi

Exportação de serviços no Brasil cresce 12,2%; recorde de R$ 42 bi

As importações brasileiras de serviços também cresceram, totalizando US$ 82,8 bilhões, o maior valor desde 2014

por Agência Gov
3 min leitura

O Brasil alcançou, em 2023, um valor recorde em suas exportações de serviços: US$ 45,2 bilhões, um aumento de 12,2% em relação ao ano anterior.  

Os números constam do Relatório Anual de Comércio Exterior de Serviços 2023, publicado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), nesta quarta-feira (25/6).

O documento, produzido pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do MDIC, analisa os dados do Banco Central do Brasil e da Organização Mundial do Comércio (OMC) para informar e estimular o debate sobre o comércio internacional de serviços.

Um dos principais aumentos nas exportações de serviços foi o registrado no item “viagens”, que representa o gasto de viajantes estrangeiros no Brasil: crescimento de 39,5%, atingindo US$ 6,9 bilhões valor superior ao nível pré-pandemia.

Em termos de volume, “outros serviços de negócio, inclusive arquitetura e engenharia” que incluem uma série de serviços técnicos e científicos, pesquisa e desenvolvimento representaram a maior participação no total (43,2%), somando US$ 19,5 bilhões.

Os números do Brasil seguem tendência mundial:  o comércio total de serviços no mundo cresceu 9,2% e atingiu US$ 7,5 trilhões.

O comércio mundial da categoria “outros serviços comerciais”, que inclui seguros, computação, telecomunicações e serviços financeiros, maior classe de serviços transacionados, cresceu 8,6%, mas o destaque foi a continuidade da recuperação de viagens, que cresceram 37,9%.

As importações brasileiras de serviços também cresceram, totalizando US$ 82,8 bilhões, o maior valor desde 2014. 

Entre os destaques, queda de 23,9% nas despesas com transportes, aumento de 31,1% em serviços de telecomunicação, computação e informações, e crescimento de 19,3% no item “viagens” (aqui representando os gastos de brasileiros no exterior).

Os Estados Unidos mantiveram-se como o principal parceiro comercial do Brasil, representando 40,7% das receitas com exportações de serviços e 37,6% das despesas com importações de serviços.  

Também vale registrar o crescimento nas exportações para Países Baixos (26,9%), Singapura (20,8%), Alemanha (13,3%) e Suíça (12,5%).

Já em relação ao mundo, a União Europeia se destacou como a principal exportadora de serviços, com um aumento de 6,6% nas vendas externas, seguida pela Ásia (8,4%) e América do Norte (8,0%).

A América do Sul, Central e Caribe apresentaram crescimento de 15,9%, evidenciando um dinamismo na região.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.