Eu estava aqui preparando uma palestra e pensei: “Nossa, tem tanta coisa para falar sobre marketing pessoal, esse mundo dos experts ‘bombando’, as ferramentas online, os novos conhecimentos”. Confesso que me animei tanto que já queria sair falando naquele instante.

Foi quando surgiu outro pensamento: “Ok, tudo isso parte de um lugar, a essência do marketing”. Será que as pessoas sabem qual é? Há algum tempo falávamos mais disso, lá por 2007 e 2008, eu lembro, mas percebi que paramos de discuti-la. Você sabe qual é a essência do marketing?

Eu adoro a definição de que marketing é “entender e atender os clientes”, mas não acredito que a mágica dele, o ponto central, esteja aqui. Precisamos entender o mercado, óbvio, afinal não existiria um negócio e tão pouco nenhum setor se não fosse para atendê-lo.

E ter um preço? Ué, precisamos vender e o valor é estratégico para tudo. E o lugar? Também, afinal não queremos vender picolé no Alasca. Na verdade, todos os P’s ou E’s do marketing são importantes, mas ainda acho que não cobrem o cerne da questão.

São muitas as variáveis em que o marketing atua, mas tem uma que realmente separa quem são “os caras do marketing” da galera que apenas brinca e tenta aparecer: a diferenciação.

Leitura recomendada: Quero meu Marketing de volta!

Aqui que a mágica acontece: os profissionais incríveis e empresas sabem ser únicos, da forma mais relevante para o mercado. Obviamente que para você criar essa diferenciação você vai precisar entender dos outros artifícios sobre preço, necessidade do mercado, praça, promoção, emoção e uma lista imensa de outras coisas.

Mas a questão é que o que vai para cada pensamento de marketing parte de uma questão: o que nos torna singulares?

Isso vale ainda mais no marketing pessoal, pois o preço e a praça são artifícios que podem ser melhor explorados pelas empresas, inclusive como fator de diferenciação. O profissional é distinto por aquilo que ele sabe (conhecimento prático e teórico) e a imagem que ele tem no mercado; na verdade, é essa combinação que define o valor dele.

Logo, o valor do seu valor é aquilo que você está mostrando ao mundo, ou seja, o que você conhece e pode fazer. Mas, o grande ponto é: quanto mais diferente, melhor será para se destacar e prosperar. Como você vai comprar um produto, serviço ou profissional se não sabe por quê ele é diferente? A decisão vai para o preço.

Portanto, quando pensar em como anda sua imagem, seu marketing pessoal, lembre-se de que todas as ações e atitudes devem partir da alma do marketing – que é o seu grande diferencial.

Eu sempre gosto de dizer que tão importante quanto ser um profissional diferente é mostrar esse valor para o mercado.

Obrigado e até a próxima!

Leitura recomendada: Comprou e se arrependeu? A culpa é sua (e não do marketing)

Foto “Super me”, Shutterstock.

Bruno Perin
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários