Home Economia e Política Fazenda deve buscar solução intermediária para correção da dívida dos Estados, diz Tarcísio

Fazenda deve buscar solução intermediária para correção da dívida dos Estados, diz Tarcísio

De acordo com Tarcísio, os estoques de dívidas estaduais estão crescendo mais rapidamente do que a economia e a expansão da receita dos Estados, criando uma "dívida impagável"

por Reuters
0 comentário

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), disse nesta quarta-feira esperar que o Ministério da Fazenda apresente uma proposta para a correção das dívidas dos Estados com a União que represente um meio termo no debate, em meio a pedidos de redução dos indexadores.

De acordo com Tarcísio, os estoques de dívidas estaduais estão crescendo mais rapidamente do que a economia e a expansão da receita dos Estados, criando uma “dívida impagável”.

Falando a repórteres após uma reunião com o ministro Fernando Haddad, Freitas disse que a proposta da Fazenda será apresentada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima semana e discutida com os governadores após um sinal verde do Planalto.

O objetivo é chegar a um texto final dentro de 60 dias, gerando um projeto de lei que deverá ser enviado ao Congresso no primeiro semestre deste ano, acrescentou.

Freitas disse que os governadores das regiões Sul e Sudeste propuseram que a correção das dívidas com o governo federal corresponda ao crescimento de longo prazo da economia brasileira, de 3% ao ano.

No entanto, ele enfatizou que o Ministério da Fazenda fará outra proposta e expressou confiança de que as partes chegarão a “um meio termo”, permitindo que os Estados tenham maior disponibilidade de caixa para investimentos sem prejudicar os cofres públicos federais.

As dívidas estaduais são atualmente corrigidas dentro de um modelo híbrido que leva em conta tanto a taxa Selic — atualmente em 11,25% ao ano — quanto a taxa de inflação mais um percentual de 4%, disse Freitas.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.