Em artigos anteriores, já falei exaustivamente a respeito do planejamento e sua importância para a vida financeira das pessoas. Mostrei, através de exemplos práticos, de que forma o bom planejamento pode auxiliar a construção de um futuro mais próspero.

Hoje, porém, vou deixar esse tema de lado e falar de algo tão relevante quanto o planejamento: a execução. Planejar é importante, planejar ajuda, mas planejamento sem execução é perda de tempo.

Por isso, senti-me na obrigação de, após tantos artigos dissertando sobre o planejamento, escrever um que abordasse o passo seguinte. Em se tratando de finanças, as pessoas costumam cometer dois erros básicos:

  • O primeiro é não planejar sua vida financeira, seu orçamento, suas decisões de consumo, suas metas e etc.;
  • E o segundo erro é não executar o planejamento quando esse é feito.

Agora me responda: qual a diferença entre não elaborar um plano e elaborar um plano e não executá-lo? Isso mesmo: nenhuma! Quem não coloca em prática aquilo que planejou está fadado a ter os mesmos problemas que aquele que nem sequer se deu a esse trabalho.

Leitura recomendada: Planejamento financeiro, uma condição para ser feliz

Evidentemente, entre o ato de planejar e o de executar esse planejamento existe uma série de variáveis. Muitas vezes, pode ser que as coisas não saiam exatamente como você gostaria.

É bem possível que alguns aspectos fujam do seu controle e que você precise reformular aquilo que já havia planejado, afinal de contas imprevistos surgem em todas as áreas da vida, com as finanças não seria diferente.

Independentemente de qualquer variável, o importante é que você possa efetivamente executar o seu planejamento. Por mais que ele tenha sofrido modificações, por mais que você não possa fazer tudo que deveria, nem da maneira que deveria, o importante é fazer alguma coisa.

Como diria o ditado: “O feito é melhor do que o perfeito”. E já que a perfeição é uma utopia, cabe a nós executar da melhor maneira possível, com os recursos que temos disponíveis, o nosso planejamento. Mas nunca, jamais, em hipótese alguma, abra mão dessa execução.

É possível alcançar o sucesso financeiro sem se planejar, mas impossível alcançá-lo sem pôr a mão na massa. Tentar, errar, aprender, aperfeiçoar e, dessa forma, ir melhorando a gestão da sua vida financeira é fundamental.

Leitura recomendada: 3 Atitudes capazes de mudar sua vida financeira

Se as suas finanças estão uma bagunça, chegou a hora de mudar isso de uma vez por todas. Tire um tempo para colocar a casa em ordem e planejar seu futuro financeiro. Mas não se esqueça: o mais importante é o que virá depois disso, quando você começar, enfim, a realizar aquilo que planejou.

Foto “Running uphill”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários