Ficar rico!De uma forma bem simples, vou dividir as pessoas em dois grupos. Os que nunca serão ricos e os que já são. Mas rico é ter R$ 10 mil, R$ 100 mil, R$ 1 milhão? Ser rico nos remete a uma resposta muito pessoal. O problema maior é confrontar sua preguiça e sua dúvida, elas é que mantêm você pobre ou rico. Você deve conhecer dezenas de pessoas do tipo “não consigo fazer isso” ou “nunca serei rico” ou ainda “mas isso é arriscado”. Pois é, estas são as pessoas que nunca serão ricas, principalmente porque tudo que já conquistaram as deixa com a impressão de que nada daquilo foi demais e que possuem o “suficiente”. É a preguiça mental de ficar rico. Todos os demais são ricos.

Uma lição simples e valiosa de Robert Kiyosaki define todo o potencial que temos para ganhar dinheiro: “o que você pensa que é real é a sua realidade”. É a alavancagem, segundo sua teoria. Vou mais além. Algumas pessoas, ou melhor, a grande maioria, não chega ao topo porque evita o fracasso a qualquer custo. Não fica rico porque tem medo de ficar pobre. Trabalha para pagar as contas, poupa parte do dinheiro, troca de carro. Vive uma vida comum. Arriscar a poupança ou grande parte dela em um negócio próprio? Ações? Renda passiva? Imagina, perderiam o emprego de 15, 20 anos, estável. É risco demais. Pois é, um grupo que vive a realidade que quer. E quer saber? Não há mal nenhum nisso.

Mas Navarro, pra que ficar rico? Ora, por que não? As chances de sucesso e de fracasso são iguais, dependerão de seu esforço pessoal, de sua atitude e organização. O fato é que muito poucas pessoas ficam ricas através de um emprego, mesmo com um salário alto e muitos anos de casa. Você consegue enumerar rapidamente 5 pessoas com este perfil? Abra um negócio em casa, use seu networking, invista em algo com algum sócio, saia da sua zona de conforto, trabalhe menos para os outros e mais para você. Pense de outra forma: não faz parte do trabalho do seu chefe ou de sua empresa fazer você ficar rico. Esta é uma responsabilidade sua. Certo, mas então é fácil ficar rico? Não. Mas como tudo na vida, é uma escolha que começa na emoção, dentro de você.

Você está habituado a poupar parte de seu dinheiro? Poupar não é sinônimo de enriquecer. Tome cuidado com a diferença entre economizar e investir. Parafraseando Kiyosaki, poupar é uma palavra lenta. Trate de investir seu dinheiro, transformá-lo em mais do que um número num extrato de papel. Coloque-o para trabalhar pra você, invista-o em ações, imóveis, empresas, negócios. É a renda trabalhando pela renda, dinheiro trazendo dinheiro. Agora pense nas pessoas ricas que conhece(u) ou que já ouviu falar? Elas não ficaram ricas fazendo pequenas economias. Arriscaram. Por que então relutamos tanto?

Agora você deve estar em pânico por ainda desconhecer muitas das formas de usufruir da renda passiva ou porque joguei abaixo seu conceito de riqueza. Calma, riqueza não é só isso. Diferente de ter muito dinheiro para gastar, a riqueza é permitir-se trabalher em ritmo menor que o de seu dinheiro. E assim poder desfrutá-lo com mais propriedade e tranquilidade. Quem é rico trabalha muito, é verdade. Mas seu dinheiro trabalha numa velocidade muito mais alucinante. Não é assim?

Encerro com uma pequena reflexão sobre a essência desta pequena obra. A verdadeira diferença está na conclusão que você vai chegar ao tirar os olhos deste artigo e ao refletir sobre suas atitudes, usando este meu ponto de vista. Você pode achá-lo hipócrita, egoísta e até simplista, cheirando a auto-ajuda. Ou pode achá-lo interessante, diferente e motivador. Cada um com a realidade que merece. Até a próxima.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários