Murilo comenta: “Navarro, sou recém-formado e há três meses comecei a trabalhar na área de controladoria de uma empresa de médio porte. Estou começando a ver na prática as rotinas contábeis da empresa e concluí que preciso administrar minhas finanças pessoais com o mesmo zelo e detalhes. Isso faz sentido? Obrigado“.

Acho ótima a comparação entre a contabilidade de uma empresa e o controle de nossas finanças pessoais. Sim, faz muito sentido e eu sempre falo sobre isso em minhas palestras, vídeos e artigos. Hoje será mais uma oportunidade para reforçar esta realidade.

O fluxo de caixa de uma empresa

Quero colocar foco em um ponto que considero ser o mais importante dentro do processo contábil de uma empresa: o fluxo de caixa.

Segundo o Sebrae, o “fluxo de caixa é um instrumento de gestão financeira que projeta para períodos futuros todas as entradas e as saídas de recursos financeiros da empresa, indicando como será o saldo de caixa para o período projetado“.

Então, para que um fluxo de caixa funcione, é preciso haver a rotina de registrarmos todo o dinheiro que entrou na empresa (através da venda de produtos ou serviços) e também todo o dinheiro que saiu da empresa (despesas com aluguel, compra de material, pagamento de funcionários e etc.).

Tudo isso deve ser feito dentro de um período de tempo. Esta rotina, depois de alguns dias ou meses, permitirá avaliar se o fluxo financeiro está saudável (empresa lucrativa) ou doente (empresa que gasta mais do que ganha ou não gera lucros).

Como você percebeu, este é um instrumento fundamental para que uma empresa funcione bem. Onde existem falhas ou falta de controle no fluxo de caixa, o risco de problemas financeiros é sempre maior, podendo a empresa inclusive falir.

O fluxo financeiro da nossa vida

Agora vamos fazer o paralelo com nossas finanças pessoais. De igual forma, nós também temos nossas entradas (salário, rendas extras de negócios, serviços prestados e etc.) e despesas (alimentação, roupas, moradia, saúde, educação e etc.). Você já parou para pensar nisso?

É muito importante que você crie uma rotina de registrar estas “entradas e saídas” de dinheiro. Dessa forma você terá condições de controlar o seu próprio fluxo de dinheiro. Um dos maiores erros que as pessoas cometem é a falta de registro de seus ganhos e principalmente de seus gastos.

Para resolver isso, recomendo fortemente que você conheça esta planilha gratuita de controle financeiro (clique aqui) que nós preparamos com atenção. Reforço: ela é gratuita!

Seguindo a discussão sobre planejamento, você precisa dar um jeito de fazer sobrar dinheiro no fim do mês, mas isso ainda não é tudo. Por fim, deverá investir este dinheiro (no mercado financeiro ou em novos negócios) para então gerar lucros.

Depois de observar seu fluxo de caixa dessa forma mencionada, você estará “funcionando” de forma lucrativa. Com o tempo seu patrimônio irá crescer, da mesma forma que uma empresa saudável também cresce, aumentando seus investimentos.

Um importante conceito

Como estamos falando de fluxo de caixa, há um conceito que quero destacar. Se eu te perguntasse hoje: qual é a sua disponibilidade financeira agora? Você saberia me responder?

Muitos nem sabem o que é isso e terminam respondendo o quanto têm de dinheiro na conta do banco. Resposta errada. De nada adianta ter no banco R$ 3.000,00 se você tem compras no cartão de crédito que totalizam R$ 2.500,00 e cuja fatura vencerá na próxima semana. Neste caso, sua disponibilidade financeira é de R$ 500,00.

Agora leve esse raciocínio para o seu fluxo financeiro e passe a controlá-lo de tal forma que sejam consideradas as despesas futuras também. Dessa forma você evitará gastar além da conta, tendo como prioridade honrar com seus compromissos já firmados.

Leitura recomendada: Aprenda a construir a sua independência financeira (sim, você também pode!)

Conclusão

Desde o fluxo de caixa, passando por temas de liderança e gestão de pessoas, há muito o que podemos extrair de positivo sobre a forma como as empresas trabalham. Reflita sobre isso e passe a gerenciar a sua vida de forma mais profissional. Os resultados serão proporcionais.

Foto “Business chart”, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários