Já são mais de 14 milhões de pessoas desempregadas no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE).

O número causa alarde e quem perde o emprego se sente pressionado de maneira psicológica e financeira para voltar o mais rapidamente possível ao mercado de trabalho. O que poucos brasileiros sabem é que este período de pós demissão pode ser um momento importante para repensar alguns pontos importantes da vida.

Uma pesquisa recente da Universidade de East Anglia e do What Works Center for Wellbeing mostra que os sentimentos ruins associados as demissões podem ser ainda piores do que as de uma separação conjugal.

O especialista em carreiras e criador do Coworking 1108, Daniel Olszewer, conversou com muitas pessoas que passaram por essa situação. Olszewer “mergulhou” em dados recentes sobre as dificuldades e possibilidades desse período e listou cinco dicas de como  administrar melhor a sua rotina após alguém perder seu emprego. Acompanhe:

eBook gratuito recomendado: Do Endividamento ao Investimento

1.Parece clichê, mas o pontapé pode te levar para frente

Temos uma sensação, com o desemprego, de tempo livre e tendemos a trocar o dia pela noite. É aí que reside o perigo. Estabeleça uma rotina desde a hora de despertar ao momento de adormecer. Pratique um exercício físico, leia mais e ouça música. São nestes momentos que o nosso cérebro está relaxado e surgem grandes ideias. Inclusive ideias para abrir um negócio, falar com conhecidos sobre a sua situação e até trocar de carreira.

2. Não crie expectativa

Esse passo é um dos mais difíceis de praticar por quem está procurando emprego, porém o mais necessário. Muitas empresas não dão feedback para o candidato quando estes não são aprovados nos processos seletivos. Por isso, a ansiedade acompanhada da expectativa toma conta de muitos. Para minimizar isso pratique Mindfulness. A prática não envolve dinheiro e é relativamente simples. Trata-se de concentrar os cinco sentidos no momento presente. Automaticamente o seu cérebro terá uma sensação de satisfação e elevará as suas conexões neurais. Isso ajuda muito nas entrevistas.

3. Aposte em um hobby/freela que você goste para ganhar um dinheiro extra

As formas de trabalho vêm mudando com o passar dos anos. Estamos vivendo uma era em que as atividades se fundem com a personalidade e aptidão dos seres humanos. Com isso, muitas pessoas estão ganhando dinheiro com trabalhos pontuais. Descubra o seu dom além do trabalho formal. E caso não queria trabalhar em casa ou sozinho opte por um coworking. Como o Coworking 1108. Você pode descobrir que este seu trabalho temporário tem mais lucratividade que o registrado.

eBook gratuito recomendado: Freelancer – Liberdade com muito trabalho e resultados

4. Vá ao psicólogo

Acredite: isso não envolve dinheiro. Há muitos Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e universidades que disponibilizam atendimentos gratuitos. Basta se inscrever e ter assiduidade às consultas. De acordo com a pesquisa da Universidade de East Anglia, os indicadores de saúde mental e satisfação com a própria vida após uma separação só normaliza após 4 anos. Já no caso de demissão esses índices, mesmo após estes 4 anos, podem continuar caindo. É preciso compreender esses sentimentos como tristeza e frustração.

5. Supere o ex-emprego antes de engatar em um novo emprego formal

Eu sei que você pode ser pai/mãe de família, ter aluguel para pagar e contas chegando todo mês. Porém, reflita antes de começar em um novo emprego. Lembre-se que envolve um compromisso com outro alguém e que nem sempre é na primeira oportunidade que vai aparecer o trabalho ideal e que pague o que você precisa, mas não desanime. Organize-se, cheque quais serão as suas atividades, pesquise sobre a empresa, tente conversar com quem já trabalhou e trabalha na corporação. Dialogar e pesquisar: essas são as palavras da vez neste momento.

eBook gratuito recomendado: Educação Financeira no Ambiente de Trabalho

Conclusão

O Brasil atravessa um período crítico e o desemprego é um dos reflexos que mais chamam a atenção das pessoas. Talvez, esse momento de preocupação possa se tornar uma oportunidade de busca por novas opções e formas de gerar renda.

O mundo está mudando e por mais que as mudanças sejam radicais, sempre existirá espaço para bons profissionais – aqueles que, mais do que emprego, estão dispostos a encontrar trabalho. Até a próxima!

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários