A força de vontade reflete uma causaEstava andando pelo centro da cidade outro dia quando encontrei um amigo empresário. Ele comentou que estava com dificuldades para encontrar pessoal qualificado. Disse também que havia contratado um gerente com muitos títulos, mas que não realizou nada em seus primeiros 30 dias. Como consequência, demitiu o gestor.

Isso me levou a perguntá-lo: “Você não tem os títulos que ele tem, nem a formação dele. Ele tinha tudo para alcançar resultados além do que você mesmo conseguiu, mas não o fez. A que você atribui o fato de você empreender e vencer e ele não?”. Então ele respondeu: “Força de Vontade!”.

Engrenagem sem óleo não funciona

Poderíamos comparar os conhecimentos, as habilidades e atitudes adquiridas durante a vida como engrenagens de um motor que chamarei de “Realização”. O óleo que permeia as engrenagens eu chamarei de “Força de Vontade”.

Talvez isso explique porque muitos têm as engrenagens adequadas para produzir um ótimo motor, mas não conseguem resultados satisfatórios. A maioria foca nas engrenagens, que são fundamentais para qualquer máquina funcionar, mas negligencia o óleo. Minha intenção é falar desse óleo chamado “Força de Vontade”.

Maior vontade está relacionada a uma causa

Creio que a razão pela qual algumas pessoas não depositam toda a vontade em seu trabalho é porque as atividades executadas não estão relacionadas com uma causa.

Certa vez perguntei a alguns alunos: “Se vocês tivessem recursos suficientes para não se preocupar com as contas no final do mês e tivessem todo o tempo para fazer o que quisessem, o que vocês fariam?”.

Ouvi respostas como “Eu iria comer, beber e dormir” e “Eu ficaria o tempo todo jogando vídeo game e assistindo TV”, entre outras. Essas respostas representam jovens que ainda não descobriram sua própria causa. Força de vontade é a energia que você gasta para alcançar seu sonho, independentemente das barreiras que venha a enfrentar.

Uma famosa estória pode ajudar-nos a entender melhor. Certa vez, um rapaz perguntou a um grande sábio como ele poderia obter a sabedoria infinita e tudo que desejar. O sábio pediu ao rapaz para que o acompanhasse até um lago, ali perto. Chegando lá, o sábio mergulhou a cabeça do rapaz na água e ele começou a se debater. O sábio segurou mais um pouco e depois o soltou.

Com o rapaz já recuperado, o sábio perguntou: “O que você mais queria quando estava de baixo da água?”.

E ele respondeu: “Respirar, é claro!”.

Então o sábio disse: “Quando você desejar a sabedoria tanto quanto queria respirar, você a conseguirá”.

Como descobrir a minha causa?

Para alcançar a sua grande realização, é preciso tanta vontade quanto à que o jovem rapaz despendeu para buscar o ar. Às vezes nos debatemos e até sofremos por encontrar uma causa que nos faça mover voluntariamente. Quem tem uma causa não é um trabalhador, mas um voluntário.

Quem tem uma causa transforma o trabalho em algo tão prazeroso que influencia as pessoas de seu círculo de influência a trilhar o mesmo caminho. É isso que transforma sonhos em realidade. Sonhos não formados por propósitos mais elevados são apenas planos.

Sim, você precisa ter planos, mas eles precisam ser fundamentados em sonhos, do contrário a chama da vontade logo se apagará e a engrenagem rapidamente se enferrujará. Um propósito maior é o lubrificante que dá vida ao motor da “Realização”.

Para mim, uma causa é feita com os seguintes ingredientes: talentos, paixões, crenças e as necessidades dos outros. A causa nunca beneficia o próprio autor. Eu acredito que o mundo desejará lhe pagar de forma muito singular, pois se trata da sua realização. Seja o pagamento de ordem monetária ou não, você encontrará grande satisfação em recebê-lo.

Creio que se o gerente demitido pelo meu amigo empresário produzisse um pouco mais do óleo da “Força de Vontade”, ele turbinaria o próprio motor de realização e jamais o deixaria fundir novamente.

Qual é a sua causa? Seja qual for, ela trará grandes realizações. Até a próxima.

Foto de freedigitalphotos.net.

Alex Arcanjo
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários