Você não conseguirá ser bem-sucedido sem antes fracassar. Aplique as dicas a seguir para superar o medo do fracasso.

Todo empreendedor precisa lidar com o medo do fracasso

O medo é um problema porque ele pode causar danos em todos os aspectos da sua vida. Ele é capaz de arruinar sua produtividade, destruir os seus sonhos e lhe impede de erguer o negócio que você está tentando construir. O medo rouba a alegria da vida.

Os empreendedores são pessoas audaciosas: criam negócios a partir do zero, agitam mercados, mudam as convenções estabelecidas, ajudam a formar a cultura e melhoram a vida das pessoas.

Nós respiramos fundo, juntamos todas as nossas forças, concentramos nossa mente e fazemos as coisas acontecerem. E, algumas vezes, ficamos com medo.

Ebook gratuito recomendado: Riqueza pessoal é possível

Para que se possa fazer algo grande, é preciso que você supere um grande obstáculo. E uma das maiores coisas que precisam ser superadas é o medo.

O medo não é um problema relacionado aos negócios. Você não consegue solucioná-lo gastando dinheiro, trabalhando mais intensamente, comprando softwares ou delegando a tarefa à outra pessoa.

Você precisa lidar com ele de outras formas. Eis aqui quatro princípios que eu descobri para me ajudar a enfrentar o medo do fracasso.

1. Aceite que o fracasso vai acontecer

Nós temos medo do desconhecido. Este negócio vai dar certo ou vai falir? Eu vou me esgotar ou vou sobreviver? Vou perder um milhão de dólares (já aconteceu comigo) ou ganhar um milhão de dólares?

Para lidar com o medo, vamos retirar o fator de incerteza do meio do caminho. Eis como fazer isso: aceite que você vai fracassar.

Nós precisamos ajustar a nossa visão sobre o que é o “fracasso”. Nós possuímos a tendência de achar que o fracasso é algo ruim, mas isso não é verdade.

O “fracasso” é uma questão de perspectiva. Você pode ter fracassado na tarefa de começar uma empresa ou de conseguir financiamento, mas preste atenção nas coisas que você conseguiu.

Você está um passo mais próximo do sucesso. Você aprendeu lições valiosas. Você está muito mais experiente e armado de muito mais conhecimento. Isso me soa como um passo em direção ao sucesso.

Uma vez Thomas Edison disse que “eu trilhei um caminho de fracassos até o sucesso”. Uma pilha de fracassos pode se transformar em uma montanha de sucessos, portanto, vá em frente e fracasse.

Melhor ainda, fracasse o mais rápido e mais cedo que você puder. O fracasso é temporário, mas o sucesso é permanente.

Ao invés de fugir do fracasso, corra em direção a ele. Você não estará correndo em direção ao desastre, mas sim em direção ao sucesso.

Leitura recomendada: Fracasso: um grande mestre em prol do nosso desenvolvimento

2. Encontre uma causa verdadeira do seu medo e solucione-a

Quando nós tememos o fracasso, estamos em um ponto crucial do nosso desenvolvimento. Estamos admitindo para nós mesmos que alguma coisa é maior do que nós. Nesse caso em questão, essa coisa é o nosso medo.

Mentalmente, distancie-se um pouco da situação e faça a si mesmo esta pergunta: “Do que eu estou realmente com medo?”  “O fracasso” não é algo muito definido. Há algo mais, algo concreto.

Continue pensando e encontre os grandes monstros que te assombram:

  • “Tenho medo de não conseguir um financiamento que seja suficiente”.
  • “Tenho medo de estragar o meu SEO”.
  • “Tenho medo de que os desenvolvedores não cumpram os prazos de produção”.
  • “Tenho medo de que minha lista de e-mails não seja grande o bastante”.
  • “Tenho medo de que o meu marketing de conteúdo seja uma porcaria”.

Ok, assim é melhor. Agora você destilou os seus medos até obter desafios objetivos e concretos.

O que você faz agora? Você pode tanto solucioná-los por conta própria quanto pedir ajuda para alguém. O maior ganho aqui é o de transformar o seu “medo” assustador e abstrato em alguns poucos objetivos mais consistentes.

Talvez você precise tentar algumas vezes antes de conseguir isso. Uma vez que você entenda de onde vem o seu medo, você poderá enfrentar o problema ao invés de apenas sofrer os efeitos do medo.

3. Nunca deixe de perseguir os seus objetivos

O seu medo nunca pode apagar os seus objetivos. Por mais que o seu medo seja real, os seus sonhos e objetivos são tão reais quanto ele.

Uma vez que você aceita que o medo vai surgir em algum momento, tenha um plano para se recuperar dele. Tenha outro negócio para abrir. Outro objetivo a conquistar. Outro desafio a ser superado.

Leitura recomendada: Você tem medo? Que bom, então é alguém normal!

No instante em que você começar a fazer algo audacioso novamente, esses medos irão retornar. A essa altura, você já vai ter aprendido a lição de que não vale a pena temer os próprios medos.

E mesmo que os seus piores medos se concretizem, você sempre terá os seus objetivos para perseguir.

4. Faça aquilo que te causa medo

“Faça aquilo que você teme e seu medo desaparecerá”.

Quando você faz exatamente aquilo que você teme, o medo vai embora. Você tem medo do fracasso? Então vá em frente e fracasse.

Estranhamente, nós sentimos mais medo daquilo que mais desejamos. Se pudéssemos nos dar conta de que o que está do outro lado do nosso medo é o sucesso, nós estaríamos mais dispostos a fazer aquilo que nos causa medo.

É fácil escrever essas palavras no meu teclado, mas é muito mais difícil realmente fazer aquilo que estou falando. Fazer nunca é fácil. Mas é recompensador.

Conclusão

Pergunte a qualquer empreendedor, líder mundial, magnata dos negócios, alguém bem-sucedido ou simplesmente a uma pessoa socialmente bem posicionada.

Todos eles já passaram pela experiência de sentir medo. Eles também enfrentaram esses medos, não recuando, mas seguindo em frente.

Do que você tem medo?

Neil Patel
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários