Um dos principais benefícios que a internet proporciona é a facilidade de acesso à informação. Basta digitar algumas palavras em algum buscador e encontramos dezenas, centenas ou milhares de referências sobre elas.

E, nos dias de hoje, informação vale dinheiro, não é mesmo? Mas você já pensou que diante de tantas facilidades, podem existir problemas gigantescos de segurança de informação?

Já imaginou que esses problemas podem afetar suas finanças e causar bastante dor de cabeça?

Com tantas tecnologias como e-mail, aplicativos de comunicação e armazenamento na nuvem, tornou-se um hábito bastante comum enviar, receber ou armazenar dados como esses na internet:

  • Informações pessoais;
  • Informações financeiras;
  • Dados de cartão de crédito;
  • Cópias de documentos, entre outros.

Infelizmente, um fraudador que tenha acesso a esses tipos de dados pode cometer uma série de fraudes em nome de outras pessoas:

  • Criar contas em bancos para tomar empréstimos;
  • Emitir cartões de crédito para realizar uma série de gastos;
  • Efetuar compras em lojas físicas e virtuais;
  • Criar empresas para aplicar golpes.

Ferramenta gratuita recomendada: Dinheirama Organizze: seu aplicativo de controle financeiro

Consequências de ser vítima de fraudes digitais

Caso você seja uma das vítimas desses golpes, as consequências podem ser bastante severas:

  • Cobrança de dívidas que foram feitas em seu nome, além de multas;
  • Dificuldades para ter acesso a alguns serviços, pois seu nome estará “sujo”;
  • Gastos com processos e com advogados, para se defender;
  • Muitos meses de dores de cabeça para “limpar” o seu nome.

Não são apenas as pessoas físicas que enfrentam problemas de brechas de segurança. Seguem algumas informações e estatísticas sobre o assunto.

No dia 22-set-16, a Yahoo confirmou o roubo de dados de 500 milhões de contas de usuários no final de 2014.

De acordo com estudos da Gemalto (provedora mundial de soluções de segurança digital), em 2014 foram roubados pouco mais de 1 bilhão de registros devido a brechas de segurança de dados no mundo.

As vítimas foram de diversos tipos: empresas de varejo, empresas de tecnologia, governos, instituições financeiras, pessoas físicas… No ano de 2015, esse número foi de quase 708 milhões de registros. Aproximadamente 22 registros roubados por segundo!

Leitura recomendada: Dinheirama Entrevista: William Sato, CEO da SafeGuard

Cuidados necessários

Hoje em dia, é muito difícil deixar de utilizar algumas facilidades como armazenar informações na nuvem ou realizar compras pela internet.

No entanto, podemos tomar uma série de providências para evitar grandes problemas:

Dica 1: Nunca armazenar na nuvem ou enviar informações por e-mail como usuários e senhas de sites, dados de contas e senhas do banco, e dados de cartão de crédito.

Dica 2: Caso seja necessário enviar por e-mail ou armazenar documentos, como cópia de comprovante de residência, criptografe o arquivo com senha. Passe a senha para quem for receber o arquivo por outro meio que não seja o e-mail. Certifique-se que a pessoa / empresa que receberá a informação seja confiável o suficiente.

Dica 3: Utilizar apenas conexões seguras quando acessar, enviar ou receber informações ou arquivos. Exemplo: não acessar o internet banking ou o aplicativo do seu banco em conexões wi-fi grátis.

Dica 4: Não utilizar senhas óbvias como nomes, sobrenomes, datas de aniversário ou nome da loja.

Dica 5: Não deixar cadastrado o número do seu cartão de crédito e nem do código de verificação nos e-commerces.

Podcast gratuito recomendado: DinheiramaCast: o seu podcast de educação financeira

Conclusão

Os riscos sempre estarão presentes, tanto no mundo digital como físico. É nossa tarefa adotar uma conduta preventiva, pois isso ajuda muito a não sermos as próximas vítimas destas fraudes.

Faça a sua parte neste processo. E se precisar de auxílio profissional, conte com a SafeGuard.

William Hiroshi Sato
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários