Fuja do cheque especial: juros ultrapassam 200% ao anoUma das poucas verdades que existem em relação a finanças pessoais é de que o brasileiro ainda não aprendeu a lidar de maneira inteligente com o crédito. É comum encontrarmos pessoas que utilizam linhas de crédito caras por um período longo de tempo, quando poderiam, com mais interesse e curiosidade, encontrar crédito mais barato. Tudo isso faz parte do amadurecimento e da necessária pesquisa e desejo de valorizar o próprio dinheiro.

A realidade dos juros do cheque especial

Um dos erros mais graves que serve como exemplo para má utilização do crédito é o cheque especial. Ah, sim, que de especial mesmo só leva os dizeres do nome. A última pesquisa divulgada pelo Procon-SP sobre o assunto constatou que a taxa média dos juros cobrados pelos bancos do país é de 149,9% ao ano. A taxa mais alta ultrapassou 210%.

Veja os números apurados pelo Procon-SP:

BancoTaxa de juros mensalTaxa ao ano
Santander9,95%212,14%
HSBC9,82%207,74%
Bradesco8,78%174,53%
Itaú8,75%173,62%
Safra8,25%158,90%
Banco do Brasil5,70%94,49%
Caixa4,27%65,16%

 

Como escapar do cheque especial?

Se você utiliza o cheque especial com certa constância (ou pior, fez do cheque especial um complemente de sua renda), é importante lembrar que a qualquer momento o banco pode cancelar sua linha de crédito. Assim, é indispensável que o seu padrão de vida seja revisto para que, a partir de agora, suas despesas não saiam de controle. Gastar mais do que se ganha nunca é uma boa decisão.

Uma boa alternativa para sair do limite do cheque especial é tomar um empréstimo em linhas de crédito com juros menores. Pergunte sobre o crédito consignado no RH de sua empresa, afinal os juros dessa modalidade costumam ser muito menores. Outra alternativa que também é mais barata é um empréstimo pessoal (também chamado de CDC).

Mas, atenção: você está trocando uma dívida cara (cheque especial) por outra mais barata (consignado ou CDC), o que significa que ainda assim terá que pagar o que deve e que o cheque especial será liberado. A partir deste ponto, evite usar o cheque porque se você entrar novamente no cheque especial terá duas dívidas para pagar. Preste atenção!

Outro detalhe importante é a diferença entre as taxas cobradas pelos bancos. Logo, pesquisar oportunidades e sair da zona de conforto é essencial para quem valoriza seu patrimônio. Como comparação, imagine alguém utilizando R$ 100 do cheque especial do banco Santander: no final de 12 meses a dívida chegaria a R$ 312,14. Esse mesmo valor na Caixa Econômica Federal, por exemplo, estaria no final de 12 meses em R$ 165,16.

Mais do que nunca, é hora de seguir com os olhos bem abertos e atentos para não cair nas armadilhas do crédito. Até a próxima!

Fonte: Procon-SP e UOL Economia. Foto de freedigitalphotos.net.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários