Geração Y pede novos estilos de liderançaVocê já parou para pensar que o perfil dos  funcionários está mudando? A conhecida Geração Y – dos indivíduos nascidos após 1980 – que ocupa diversos cargos nas empresas pede um novo perfil de liderança[bb]. É possível atender a essa demanda? Eu acredito que sim, depende da tomada de consciência e atitude para buscar um novo paradigma de gestão.

A Geração Y traz consigo a disposição para o trabalho, idéias inovadoras, desejo de crescimento profissional, quer ganhar muito dinheiro, tem perfil muito competitivo e um senso de urgência fora do comum. Ufa! Tudo isso e muito mais, apontam vários estudos realizados. O líder, como já sabemos, tem um papel fundamental dentro das empresas, mas como administrar funcionários com esse perfil? Como fazê-los trabalhar bem em equipe onde existam  profissionais mais experientes e com comportamentos diferentes?

O portal Você RH traz relatos de alguns gestores de grandes empresas sobre essa questão. Eles compartilham suas experiências nesse sentido e dão pistas sobre o sucesso de gestão. Veja o que eles dizem:

  • Johnson & Johnson cuida do desenvolvimento profissional dos funcionários através de sessões de coaching e até seminários de filosofia[bb] com o objetivo de proporcionar a reflexão sobre anseios e valores pessoais e profissionais. Para promover o surgimento de relações mais maduras e desenvolver habilidades para lidar com uma geração tão inquieta e questionadora são promovidos treinamentos para a Geração X. Os resultados são positivos, garante o gerente de Rh da empresa, Nilson Gomes: “A J&J aproveita o que esses jovens têm a oferecer, com essa troca, ela já mudou alguns velhos conceitos”;
  • Siemens usa sua expertise em tecnologia para monitorar o desenvolvimento profissional especialmente os da geração Y. Por meio da internet líderes e funcionários traçam objetivos e ações. Esse canal de comunicação favorece a troca de idéias, o feedback das ações é mais rápido e o reconhecimento pelo esforço é claro. “As pessoas percebem que estão sendo observadas e que estamos realmente investindo nelas:premiações financeiras e oportunidades de movimentação na carreira são oferecidas aos funcionários” diz Sylmara Piedade Requena, diretora de RH de desenvolvimento, sucessão e recrutamento;
  • Unilever reconhece seus talentos e trabalha no sentido de retê-los na empresa, onde o foco é o gerenciamento da impaciência e dinamismo da geração Y. “A opção da companhia é de tomar um cuidado especial na observação dos indivíduos para, assim, encaixá-los nas situações mais adequadas. É preciso estar bem próximo do profissional no dia-a-dia, para entender seus anseios e decidir em que projeto alocá-lo, onde ele se dará bem e como poderá contribuir melhor para o negócio“ explica Vera, representante da geração Baby Boomers;
  • Basf aproveita todo o potencial criativo e dinâmico da geração Y em projetos que solicitem alta perfomance e muita energia. Wagner Brunini, diretor de Rh afirma que o líder deve ter um papel de inspirar pessoas, já que a posição hierárquica não basta. As pessoas que gerem os Y têm de saber que a realidade mudou e por isso, os jovens estão sempre envolvidos em novas propostas e tarefas, fazem parte de grupos de trabalho, nos quais participam ativamente, e são cobrados por resultados. O que os atrai é a possibilidade de desenvolvimento e aprendizado;
  • Embraer é uma empresa muito procurada pela geração Y, por seu caráter tecnológico e presença internacional.  Eunice Batista, diretora de suporte ao desenvolvimento de pessoas, explica que “a fórmula para assegurar a satisfação dessa força de trabalho mais jovem associa meritocracia, desenvolvimento de lideranças, aprendizado contínuo e ambiente de ampla participação. As equipes multifuncionais favorecem a ampliação do conhecimento”. O importante para a empresa é que seus líderes estejam próximos  a eles, saibam valorizar a diversidade  aproveitando o potencial de cada um.

Podemos ter algumas importantes pistas sobre como os líderes[bb] podem conduzir essas equipes compostas por perfis tão diferentes. O objetivo desse texto é inspirar. O essencial sempre continua sendo a comunicação assertiva, respeito pelas diferenças e valorização do ser humano em toda sua potencialidade. E, claro, muito trabalho! Se você é da Geração Y ou trabalha com estas pessoas tão especiais, deixe-nos seu comentário a respeito dos desafios do ambiente de trabalho.

Crédito da foto para stock.xchng.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários