Home Finanças Pessoais Gestão simplificada de investimentos? Funciona sim!

Gestão simplificada de investimentos? Funciona sim!

A planilha aceita até 10 diferentes investimentos, o que pode ser facilmente alterado por qualquer pessoa que tenha conhecimento de Excel

por Conrado Navarro
0 comentário

Difícil - CuidadoComo você mantém o controle de suas aplicações em fundos de investimento, poupança, ações etc? Você sabe quanto tinha no mês passado? Será que sabe quanto rendeu sua carteira?

Ela rende bem? Qual o benchmark? Depois de aprender a analisar melhor as opções e produtos disponíveis e antes de decidir em quais iremos investir, ainda se faz necessário outro passo importante: aprender a gerenciar todo esse portfólio recém criado.

Você já investiu muito dinheiro e agora vai ter que investir um pouquinho de tempo. Topa?

Uma planilha Excel simples e um pouco de pesquisa na Internet. E só! Criei uma ferramenta rápida e de fácil acesso para que todos possam ter um mínimo de visibilidade e controle de seus investimentos.

Nada pior que confiar apenas no produto e depois de muito tempo notar que ele não rendeu o que esperava. Como não canso de dizer: se isso acontecer, a culpa é só sua.

Acompanhar periodicamente a rentabilidade, bem como as movimentações que você faz, é útil e pode ser muito fácil. Antes de prosseguirmos, espante a preguiça.

Faça o download da planilha de controle de investimentos (que também está na seção de downloads) e repare nas características e dicas para melhor aproveitá-la:

  • A planilha aceita até 10 diferentes investimentos, o que pode ser facilmente alterado por qualquer pessoa que tenha conhecimento mínimo de Excel.
  • Para cada investimento, será controlado o saldo, em reais, do mês anterior e do mês atual. Além disso, há uma coluna para aportes (valores positivos) ou retiradas (valores negativos). Ex: se você retirou R$ 1000,00 de um investimento, deverá digitar -1000 no campo proposto.
  • A planilha não faz contas do saldo atual e saldo passado usando as informações do aporte. E são duas as razões para tal decisão: 1) Forçá-lo a obter seu extrato mensal e acessar a planilha e 2) Podem existir descontos de taxas bancárias, o que tornaria o cálculo impreciso. Portanto, você deve digitar estas informações todo mês.
  • No mesmo extrato usado para o saldo (item anterior), constarão a rentabilidade mensal, acumulada do ano e em 12 meses. Estes dados também devem ser inseridos manualmente.
  • Existem três campos para o benchmark, que devem ser preenchidos manualmente obtendo-se a rentabilidade mensal, acumulada do mês e em 12 meses usando como base o indicador escolhido. Alguns indicadores, e suas rentabilidades, podem ser obtidos através do site do Banco do Brasil.

Como resultado, a planilha mostra o somatório de toda a carteira, para o mês passado, atual e dos aportes/retiradas, o que na verdade representa seu patrimônio investido.

Também é calculada a rentabilidade média mensal do portfólio (média ponderada).

Esta média deve ser comparada com o benchmark escolhido, permitindo que você possa avaliar sua performance diante do mercado e com isso tomar novas e melhores decisões.

Convenhamos, é muito pouco a ser feito diante da importância do seu suado dinheiro. Não vale a pena?

Dinheirama

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.