Golpes mais comuns praticados contra turistasViajar é sinônimo de relaxar, descansar e se ver livre do estresse do dia a dia, certo? Sim, mas são com esses pensamentos que os turistas acabam tornando-se alvos fáceis para golpistas, que identificam facilmente quem está com a “guarda baixa”.

Leia também: Como comprar passagens aéreas baratas.

Pensando em alertar os turistas mais desatentos, a consultoria de viagens Cheapflights organizou uma lista com os principais golpes praticados contra turistas. Veja abaixo quais são eles.

1. Policiais falsos

Numa viagem para outro país, a comunicação pode ser uma grande barreira e os golpistas sabem disso. Ser acusado de um crime inexistente é prática comum e um sinal de você está lidando com um policial falso. Ele pode cobrar uma multa de valor alto por algum crime que o turista não cometeu e, como ele está viajando para lazer e “não quer problema”, ele acaba pagando.

A dica é pedir a identificação do policial e contatar a polícia verdadeira se tiver alguma dúvida.

2. Produtos de natureza duvidosa

Oferecer produtos “originais” a um preço muito abaixo do normal é outra atitude bastante comum entre os trapaceiros. Eles abordam os prováveis clientes com argumentos vazios sobre como os produtos são bons e originais, com preços muito mais acessíveis do que em lojas, quando na verdade não passam de uma imitação, um produto pirata.

Fique atento com artigos de couro, tapetes autênticos e até quadros e joias. Na dúvida, é só agradecer a oferta e não comprar.

3. Distração

Momentos de lazer trazem bastante distração e isso também pode ser bastante aproveitado pelos espertinhos de plantão. Aproveite seu passeio, mas não deixe de vigiar seus pertences mais preciosos como celular, relógio, carteira e, claro, dinheiro. Um momento de distração é tudo que os bandidos precisam para furtar objetos pessoais sem o viajante perceber.

4. O golpe do bar

Esse golpe geralmente acontece com turista homem, que é convidado por um ou mais nativos para uma rodada de bebidas em um bar da região. Após a diversão, vem a conta, mas os nativos já se espalharam e foram embora deixando tudo às custas do viajante.

5. Táxi inflacionado

A má reputação de alguns “profissionais” infelizmente influenciam precauções exageradas sobre os taxistas corretos. No entanto, é válido ficar atento às tarifas cobradas pelos taxistas quando se está viajando, pois eles podem cobrar a mais pela desatenção do passageiro.

Pior que isso é quando ladrões se disfarçam de taxistas e roubam os turistas em lugares desertos ou com pouca iluminação. A dica para evitar esse tipo de golpe é optar por taxis licenciados ou pedir ajuda para sua companhia de viagem.

6. CD grátis

Assim como os taxistas, músicos e artistas de ruas honestos levam a fama de golpes feitos por uma minoria de mau-caráter, mas é sempre bom ficar atento. O truque acontece quando o artista deixa um CD grátis de suas músicas, se recusando a pegar caso você queira devolver.

Ai, assim que você pega o CD, os músicos passam a cobrar pelo produto. O golpe pode ter diversas variações com outros tipos de produtos, a dica é recusar a oferta desde o início se realmente não for de seu interesse.

7. Você pode tirar uma foto?

Quem vai bater a foto, se todos querem aparecer no momento registrado? É nessa hora que o golpista vê a oportunidade de ter um produto, geralmente valioso, em mãos e sai em fuga com o objeto roubado. Desconfie daqueles que se oferecem para tirar a foto, prefira casais, guias ou um membro de uma família.

8. Trombada acidental

Um golpe bastante popular não só contra turistas, mas também em grandes centros com muita movimentação de pessoas. Você recebe uma trombada na saída do metrô – foi acidental ou não? É melhor checar seus pertences de “fácil acesso” logo em seguida, pois esse é um golpe particularmente comum, principalmente, segundo o site, na Itália.

9. De onde você vem?

Alguns comerciantes elevam os preços de suas mercadorias assim que descobrem a origem do turista. Quando questionado sobre seu país ou cidade, a melhor resposta é afirmar um nome de país inexistente ou algum lugar que ele não conheça, como seu bairro.

10. Golpe da pulseira

Uma pessoa atraente chega até você oferecendo ajuda ou conselhos de passeios, quando ela logo amarra uma pulseira em torno de seu pulso com nó duplo e pede pagamento. Caso se recuse a pagar, o golpista começa a gritar que você está roubando a pulseira ou não quer pagar pelo serviço que já prestou. Para evitar mais constrangimento, a vítima cede ao golpe pagando o valor desejado.

Por que essas dicas são importantes?

O planejamento de uma viagem não se limita apenas aos pontos turísticos que queremos conhecer ou aos restaurantes que queremos experimentar. Um bom plano de viagem também inclui o planejamento financeiro. Quanto posso gastar? Com o que vou gastar? Vou fazer compras? Qual será o limite?

Pensando nisso, é importante estar atento a golpes aplicados em turistas – que estão relaxados ou distraídos demais para identificar ameaças. Se algum golpe for sofrido, certamente você será prejudicado financeiramente, indo contra seu planejamento inicial e comprometendo seu principal objetivo: divertir-se. Portanto, atenção!

Fonte: The Denver Post | Via: InfoMoney. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários