Home Empresas Google contesta processo de US$ 17 bi no Reino Unido sobre tecnologia de anúncios

Google contesta processo de US$ 17 bi no Reino Unido sobre tecnologia de anúncios

Os advogados da ação coletiva solicitaram ao Tribunal de Apelação da Concorrência que certificasse o caso para prosseguir para um julgamento

por Reuters
0 comentário

A Alphabet, controladora do Google (GOOGGOOGL), pediu a um tribunal de Londres que bloqueie uma ação judicial coletiva que a acusa de abusar de seu domínio no mercado de publicidade online, no mais recente caso que se concentra nas práticas comerciais da gigante de buscas.

A ação judicial busca indenizações de até 13,6 bilhões de libras (16,9 bilhões de dólares) em nome de editores de sites e aplicativos sediados no Reino Unido, que dizem ter sofrido perdas devido ao suposto comportamento anticompetitivo do Google.

Os advogados da ação coletiva solicitaram ao Tribunal de Apelação da Concorrência que certificasse o caso para prosseguir para um julgamento, no início de uma audiência de três dias, nesta quarta-feira.

O Google, no entanto, disse que o caso era incoerente e não explicava como a suposta conduta anticompetitiva havia supostamente causado prejuízos aos editores.

A empresa “rejeita veementemente as alegações subjacentes contra ela”, disseram seus advogados em documentos judiciais para o caso no Tribunal de Apelação da Concorrência. “O impacto do Google no setor de tecnologia de anúncios tem sido extremamente pró-competitivo.”

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.