Governo retira impostos federais dos produtos da cesta básicaA Presidenta Dilma Rousseff anunciou, em pronunciamento oficial na sexta-feira passada, a retirada dos impostos federais que incidem sobre todos os produtos da cesta básica. Em cadeia de rádio e TV, Dilma aproveitou a ocasião do Dia Internacional da Mulher para também anunciar medidas de defesa do consumidor e de combate à violência contra a mulher.

O Diário Oficial da União, em edição extra na noite de sexta feira, publicou a desoneração dos produtos da cesta básica. De acordo com a medida, o governo vai zerar a incidência de PIS/Pasep-Cofins e de IPI de 16 itens: carnes (bovina, suína, aves e peixes), arroz, feijão, ovo, leite integral, café, açúcar, farinhas, pão, óleo, manteiga, frutas, legumes, sabonete, papel higiênico e pasta de dentes.

De acordo com a medida anunciada o governo deixará de arrecadar cerca de R$ 7,3 bilhões em impostos ao ano, dos quais R$ 6,8 bilhões relativos a PIS/Cofins e R$ 572 milhões a IPI. Somente em 2013, a renúncia fiscal será de R$ 5,5 bilhões, segundo cálculos divulgados pelo próprio governo.

“Conto com os empresários para que isso signifique uma redução de pelo menos 9,25% no preço das carnes, do café, da manteiga, do óleo de cozinha e de 12,5% na pasta de dentes, nos sabonetes, só para citar alguns”, disse a Presidenta Dilma Rousseff.

Parece clara a tentativa do governo de buscar alternativas para combater a inflação. O grupo de alimentos tem grande peso nos cálculos do índice oficial. Na última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central), ficou subentendida a pré-disposição para que, nas próximas reuniões, ocorram elevações nos juros para também controlar a inflação.

Hoje, o Grupo Pão de Açúcar e outras redes de supermercados já anunciaram reajustes nos preços dos produtos da cesta básica. Segundo comunicado das redes, o repasse ao consumidor já está valendo desde hoje cedo.

A aposta do governo de renuncia fiscal parece ser inteligente, afinal não restam dúvidas quanto à excessiva carga tributária com que temos que conviver nos país. Só resta saber se, nesse momento, apenas essa medida será suficiente para alcançar o efeito necessário. Vamos acompanhar.

Mais do que isso, é importante que em vez de pacotes e medidas, o governo adote uma postura mais séria em relação aos impostos, propondo a tão falada reforma tributária. Pelo jeito, isso ainda levará algum tempo. Estamos de olho. Até a próxima.

Foto de freedigitalphotos.net.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários