GráficosO mundo financeiro e das finanças pessoais está vivendo uma grande revolução. As ferramentas de análise e de tomada de decisão estão aproveitando muito bem a capacidade da Web 2.0, transformando informações complexas em sistemas de interface intuitiva e graficamente competente. Para o pequeno investidor, esta é uma excelente notícia. O que antes só existia para os analistas e profissionais do mercado financeiro, através de softwares caros e pouco amigáveis, agora pode ser encontrado em páginas web 2.0 aqui e lá fora.

O primeiro grande benefício pode ser visualmente percebido com o grande “boom” das opções de homebroker no Brasil. Note como as corretoras cada vez mais se preocupam com a interface e o seus softwares de atendimento. As operações de compra e venda de ações pela internet agora podem ser realizadas de forma mais simples e com informações mais fáceis de gerenciar, graças aos gráficos. Índices técnicos, movimento intraday, evolução dos preços de venda ou de compra, comparativos entre ativos, tudo isso ficou rápido e disponível com poucos “cliques” do mouse.

Além disso, alguns sites americanos ainda oferecem ferramentas de análise de preços para gadgets e também casas ou apartamentos em grandes cidades, como nos mostra o site Read/Write. Tudo com resultados demonstrados em gráficos enxutos e quase sempre auto-explicativos. Mas como tirar proveito de uma ferramenta ao mesmo tempo tão simples e poderosa? Se você já aprendeu a criar um orçamento mensal e a gerenciar seu fluxo de caixa, pode facilmente, através de um gráfico, ter uma “fotografia” do seus gastos e patrimônio. Fica fácil identificar, por exemplo, quanto de sua receita você gasta com moradia, em comparação às demais despesas.

Que tal se as ferramentas de pesquisa de preço nacionais pudessem mostrar um histórico dos preços e permitissem que o usuário agregasse produtos ou marcas semelhantes ao mesmo gráfico, comparando as tendências nos valores, facilitando seu julgamento na hora da compra? Isso não é graficamente possível? Interessante? Fica a sugestão. Quando o assunto é dinheiro, são poucos os que querem, ou realmente gostam de lidar com números o tempo todo. De gráfico, figura, todo mundo gosta. Por que não aprender a usá-los, criá-los e divulgá-los? Alguém se habilita?

Alguns exemplos muito interessantes:

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários