O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega foi preso pela Polícia Federal em nova fase da Lava Jato. Mantega estava no Hospital Albert Einstein, onde sua mulher passa por tratamento médico.

A equipe da PF pretendia prender Mantega em sua residência, no bairro de Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Na casa (que é alvo de buscas), entretanto, só estava seu filho. O ex-ministro acompanhava naquele momento sua mulher em cirurgia no hospital Albert Einstein do Morumbi.

A Polícia Federal decidiu então ir até o hospital para encontrar Mantega. “Nós só esperamos que não atrapalhem a cirurgia”, afirma José Roberto Batochio, advogado de Mantega.

A prisão é do tipo temporária, decretada em casos específicos. Sua duração é de cinco dias, prorrogáveis por igual período caso comprovada a necessidade.

Após a abordagem no Einstein, Mantega já foi reconduzido até sua casa, que é alvo de busca e apreensão. Em seguida, ele será encaminhado para a sede da PF em São Paulo.

Previa da inflação tem menor número desde 2009

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,23% em setembro (menor resultado desde 2009). Em agosto havia subido 0,45%.

Com o resultado anunciado, o IPCA-15 acumula aumento de 5,90% no ano. A taxa acumulada em 12 meses até setembro foi de 8,78%.

O grupo Alimentação e Bebidas foi o principal responsável pela desaceleração do IPCA-15 no mês. Passou da alta de 0,78% em agosto, para uma queda (-0,01%) em setembro.

Entre os alimentos que se apresentaram em queda (e contribuíram para conter a taxa), destacam-se: batata-inglesa (-14,49%), cebola (-12,30%), feijão-carioca (-6,05%), hortaliças (-6,03%) e leite longa vida (-4,14%).

Quanto aos alimentos em alta, o destaque foi o item frutas (4,01%), que gerou o impacto mais elevado sobre o índice do mês (0,04 p.p.).

O grupo Transporte (-0,10%) também recuou no mês. Principais itens foram as passagens aéreas (-2,31%), gasolina (-0,75%), conserto de automóvel (-0,59%) e automóvel usado (-0,55%).

Palestras gratuitas recomendadas:  Conrado Navarro e outros grandes nomes da educação financeira e do empreendedorismo

Governo espera receita extra para evitar cortes

Houve nova frustração com as receitas do governo Michel Temer em agosto. Elas ficaram abaixo do previsto. Ainda assim não haverá bloqueio de gastos no Orçamento da União deste ano para compensar a queda na arrecadação federal.

A saída encontrada, que será anunciada nesta quinta-(22), será incluir pela primeira vez no relatório de despesas e receitas da União uma previsão de arrecadação com o programa de repatriação de recursos ilegais, mantidos por brasileiros no exterior.

O Ministério da Fazenda, que não tem divulgado expectativa de receita com a repatriação, agora trabalha com uma arrecadação de pelo menos R$ 8 bilhões com o pagamento de multa e Imposto de Renda pelos brasileiros que irão regularizar seus recursos.

Esse valor pode alcançar R$ 50 bilhões, segundo os cálculos da equipe econômica.

O relatório bimestral de receitas e despesas tem de ser divulgado pelo Ministério do Planejamento a cada bimestre. É nesse documento que o governo indica como está o comportamento das receitas e das despesas da União. Também mostra como conseguirá atingir sua meta fiscal que, neste ano, é atingir um déficit primário de R$ 170,5 bilhões.

Mercado Financeiro

O FED manteve a taxa de juros dos EUA trazendo alívio ao mercado, que temia uma elevação ainda em 2016. A prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, que esteve à frente da pasta durante os governos Lula e Dilma, também merece destaque.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, operava às 11h46 em alta de +1,46%, com 59.250 pontos, enquanto o dólar caia -0,44% negociado a R$ 3,20.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários