Home Economia e Política IBC-Br tem alta acima do esperado em dezembro, diz BC

IBC-Br tem alta acima do esperado em dezembro, diz BC

Em dezembro, o índice apresentou avanço de 0,82% na comparação com o mês anterior, segundo dados dessazonalizados, acima da expectativa em pesquisa da Reuters de 0,75% no mês

por Reuters
0 comentário

A atividade econômica brasileira cresceu mais do que o esperado em dezembro e fechou o quarto trimestre do ano passado com resultado positivo, terminando 2023 com crescimento de 2,45%, segundo dados do Banco Central divulgados nesta quinta-feira.

O Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), considerado um sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), apresentou em dezembro crescimento de 0,82% em relação a novembro em dado dessazonalizado, resultado acima da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,75%.

Foi o quarto resultado mensal positivo, que ajudou o índice a fechar o quarto trimestre com expansão de 0,22% sobre os três meses anteriores, em dado dessazonalizado.

O BC ainda revisou o resultado de novembro para uma expansão de 0,1%, de variação positiva de 0,01% informada antes. Na comparação com dezembro do ano anterior, o IBC-Br teve alta de 1,36%, de acordo com números observados.

Depois de surpreender no primeiro semestre de 2023 e mostrar resiliência no terceiro trimestre, a expectativa era de que a economia brasileira teria terminado o ano rondando a estagnação.

De um lado pesaram os efeitos defasados dos juros elevados, o alto endividamento das famílias e a dissipação dos efeitos do setor agrícola. Mas o mercado de trabalho favorável e o arrefecimento da inflação favoreceram de outro.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará em 1° de março os números oficiais do PIB em 2023. Em 2022, o PIB brasileiro cresceu 3,0%.

Tanto o Banco Central quanto o Ministério da Fazenda projetaram no final do ano passado uma expansão de 3,0% do PIB em 2023.

Dados recentes mostram que o último mês de dezembro foi marcado por desempenho melhor do que o esperado da indústria, mas queda intensa das vendas varejistas e decepção com o aumento no volume de serviços.

Para 2024 fica no foco o afrouxamento monetário iniciado em agosto pelo Banco Central e medidas para o equilíbrio fiscal, com a cena externa voltada para a perspectiva de redução dos juros globais. O Banco Central já tirou a taxa básica de juros Selic do pico de 13,75% para o patamar atual de 11,25%

O IBC-Br é construído com base em proxies representativas dos índices de volume da produção da agropecuária, da indústria e do setor de serviços, além do índice de volume dos impostos sobre a produção.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.