Sua idade e seus investimentos: conselhos aos jovens investidoresA cada início de ano, vários clientes me procuram para rever e montar novas carteiras de investimentos – mais adequadas aos seus perfis e ao panorama econômico vigente. Quando isso acontece, preciso levar muitos fatores em consideração. O primeiro deles é a idade do investidor, porque a partir deste outros critérios se desdobram, como, por exemplo, qual o nível de risco que o investidor pode ou não correr.

Sendo a idade do investidor uma variável de extrema importância para montar ou reavaliar carteiras de investimentos adequadas, neste e nos meus próximos dois textos tratarei desse tema. Para começar vou focar nos investidores mais jovens, que ainda estão começando e provavelmente ainda não possuem muitos recursos para aplicar.

Se por um lado os recursos são mais escassos, por outro lado os jovens têm o tempo a seu favor. Assim sendo, minha primeira recomendação é que invistam em ações. Somente através do mercado acionário que se consegue obter ganhos reais e aumentar o patrimônio. O horizonte de tempo de quem é jovem possibilita a recuperação de eventuais perdas de curto prazo.

O jovem pode tirar proveito dos altos e baixos da bolsa de valores. Se investir de maneira inteligente irá multiplicar o seu capital. Uma das maneiras eficientes de investir é optar por fundos de ações de gestores independentes, pois há uma equipe de profissionais olhando 24 horas para o mercado e identificando as melhores oportunidades para se investir.

Mesmo aplicando em um selecionado fundo de ações, é fundamental que o jovem compreenda que não existe fórmula mágica e que é muito mais fácil ficar pobre da noite para o dia do que rico.

Outra estratégia que potencializa os ganhos são os aportes regulares. É preciso ter muita disciplina e realizar aportes todos os meses, a cada três meses ou pelo menos uma vez por ano. As variações negativas são certas e nestas horas é melhor manter a calma e os aportes, pois aplicando na baixa, as possibilidades de valorização aumentam e os resultados aparecerão no longo prazo.

Contudo, reconheço que não são todos os jovens que estão dispostos a aplicar em ações, alguns julgam o risco deste mercado pouco adequado ao seu perfil. Para estes, minha recomendação são os fundos multimercado, pois as variações negativas de curto prazo são de menor intensidade e, no longo prazo, também podem valorizar acima da renda fixa.

Para o jovem que não aceita correr qualquer risco, pois não aceita variações negativas, sugiro as Letras Financeiras do Tesouro (LFT), que são títulos operados no Tesouro Direto e as Letras de Crédito (LCI ou LCA).

Por último, a Caderneta de Poupança é opção menos indicada para o jovem investidor, pois é o produto que rende menos, assim sendo, vai levar muito mais tempo para você acumular um valor relevante.

Na Órama, a partir dos 18 anos, com R$ 1 mil é possível aplicar em fundos de ações, multimercado e renda fixa. Um exemplo de um fundo que eu indico para os jovens é o Fundo JGP Equity, que rendeu 246% nos últimos cinco anos.

Mas, se você ainda não chegou neste valor, pode investir através do Tesouro Direto que aceita aplicações a partir de R$ 30,00. Na Poupança é possível aplicar valor ainda inferior. A Caixa, por exemplo, aceita aplicações a partir de R$ 0,01.

Se o valor poupado já ultrapassa R$ 10 mil, você pode pensar em diversificar seus investimentos e, neste caso, não deixe de aplicar pelo menos 20% em fundos de ações. Outro conselho importante: é preciso investir sempre, independentemente do cenário econômico global ou da renda.

Por último, não espere sobrar dinheiro para aplicar. Assim que receber seu salário, 13º salário, bônus ou qualquer outro dinheiro, separe uma quantia para investir. Só assim você conseguirá aumentar seu patrimônio e conquistar seus objetivos.

Os brasileiros não têm cultura de pensar no futuro, preferem consumir a poupar. Faça diferente. Pode ter certeza de que você não se arrependerá no futuro. Seguiremos nessa discussão por mais dois artigos. Até lá.

Foto “Business man watering pot”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários