Home Empresas iFood prevê salto de 50% na receita da unidade financeira até 2025

iFood prevê salto de 50% na receita da unidade financeira até 2025

A empresa, fundada em 2011, gerou receita total de 7,1 bilhões de reais durante o ano fiscal de 2023

por Reuters
0 comentário

 O iFood espera um crescimento de mais de 50% na receita de sua divisão financeira no ano fiscal de 2025, para 1 bilhão de reais, afirmou a companhia brasileira de entrega de alimentos, controlada pela empresa de investimentos holandesa Prosus.

Para o ano fiscal de 2024, que encerrou em março, a receita de seus negócios financeiros — que agora passam a se chamar iFood Pago — deverá atingir 658 milhões de reais, segundo a a companhia. O resultado de fato deve ser apresentado ainda neste mês.

A empresa realiza mais de 80 milhões de entregas por mês na maior economia da América Latina e também oferece serviços financeiros como crédito e contas digitais para restaurantes que vendem em sua plataforma.

“Temos a missão de ser o banco da alimentação”, disse Bruno Henriques, presidente do iFood Pago, em comunicado.

A empresa de entregas também iniciou testes para oferecer maquininhas de pagamento para restaurantes, pretendendo ter cerca de 5 mil terminais distribuídos nos próximos meses, com cerca de 20 mil restaurantes utilizando-os até março próximo.

A empresa, fundada em 2011, gerou receita total de 7,1 bilhões de reais durante o ano fiscal de 2023, último valor de receita total divulgado pela Prosus.

A Prosus, especializada em tecnologia, ganhou o controle total do iFood em 2022, após comprar a participação de 33% da empresa europeia de entrega de alimentos Just Eat Takeaway na brasileira por um pagamento inicial de 1,5 bilhão de euros.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.