Home Economia e Política IGP-M desacelera alta para 0,07% em janeiro com alívio de matérias-primas brutas, diz FGV

IGP-M desacelera alta para 0,07% em janeiro com alívio de matérias-primas brutas, diz FGV

O IGP-M calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência

por Reuters
0 comentário

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) desacelerou a alta para 0,07% em janeiro, de 0,74% em dezembro, começando o ano sob efeito do arrefecimento dos preços das matérias-primas brutas, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

O resultado de janeiro ficou bem abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,24%, e levou o índice a acumular em 12 meses queda de 3,32%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, recuou 0,09% no mês, bem distante da alta de 0,97% vista em dezembro.

“Nesta edição, o Índice de Preços ao Produtor mostra arrefecimento dos preços das Matérias-Primas Brutas (de 3,06% para 0,49%), o que se mantido nas próximas apurações, pode antecipar a desaceleração dos preços de alimentos industrializados”, disse o coordenador dos índices de preço da FGV, André Braz.

A desaceleração do grupo de Matérias-Primas Brutas foi influenciada por itens chave como a soja em grão, que passou de uma alta de 2,03% para uma queda de 5,98%, o minério de ferro, que reduziu seu aumento de 4,63% para 2,87%, e o milho em grão, cuja taxa diminuiu de 11,30% para 6,22%.

Enquanto isso, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral acelerou sua alta para 0,59% em janeiro, ante taxa de 0,14% no mês passado.

No âmbito do consumidor, a inflação segue muito concentrada nos grupos Alimentação (de 0,55% para 1,62%) e Educação, Leitura e Recreação (de 0,65% para 2,11%). Esse resultado reflete os preços mais altos dos alimentos in natura, em meio a problemas de ofertas típicos da estação, e cursos formais mais caros, informou a FGV.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, desacelerou a alta a 0,23%, de 0,26% em dezembro.

O IGP-M calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Dinheirama

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.