dinheirama-post-ilusao-de-foco-educacao-filhosApesar de continuar o assunto do último artigo, a ilusão de foco (clique para ler), hoje o meu papo é mais dirigido aos pais leitores do Dinheirama. Acredito, sinceramente, que qualquer pai e mãe quer dar a melhor educação que pode para seus filhos.

Então perguntar de verdade para si mesmo que educação é essa, levando em conta a realidade da família (e dos filhos!), deveria ser o primeiro passo para construir um plano de ação. Sim, porque não se faz educação sem planejamento.

E me parece que é aí que mora o problema. Ou a gente acaba nem fazendo essa reflexão ou se faz, chega a uma conclusão muito parecida com o que a maioria das famílias está fazendo: educar os filhos para que eles tenham sucesso e sejam felizes!

Parece bom, mas o que é ser bem-sucedido? O que é ser feliz?

É muito comum que associemos a ideia de “bem-sucedido” com questões profissionais e financeiras. Já parou para pensar nisso? É praticamente impossível não associar a imagem de um homem (ou mulher) bem vestido, saindo de um carrão, com um sorriso no rosto quando falamos que fulano(a) é bem sucedido.

Quanto à questão do “ser feliz”, também estamos vivendo um momento onde se confunde felicidade com prazer. Há uma espécie de ditadura da felicidade cujo lema é “busque o prazer e evite o desprazer”. E, aqui para nós, “ser feliz” desta forma beira os limites da patologia.

Então o que é educar de verdade?

Para mim, educar de verdade é mais ou menos isso: educar é uma longa viagem rumo a uma cidadezinha chamada Autonomia – lá dizem que as pessoas encontram seu lugar no mundo.

Autonomia é um lugar muito bom para se viver, mas como o caminho é longo, algumas pessoas preferem ficar em Felicidade, Liberdade ou Sucesso.

A escolha é de cada um, mas em Felicidade não se pode morar, já que é uma espécie de resort onde a gente passa um tempo e depois (normalmente quando o dinheiro acaba) tem de sair.

Já Liberdade é uma cidade cenográfica, não é de verdade, se bem que é tão perfeita que tem gente que custa a notar. Ah, em Sucesso só é aceito quem já viveu algum tempo em Fracasso, dizem que por lá se aprendem coisas que são imprescindíveis para conseguir o visto de entrada em Sucesso.

Como toda longa viagem, educar exige preparação e planejamento, caso contrário é dor de cabeça e pneu furado na certa.

É preciso prestar muita atenção no caminho. Uma placa perdida, uma encruzilhada inesperada daquelas em que alguém de supetão grita lá de trás “vai por aqui!” e pronto! Dali alguns quilômetros a família percebe que está perdida. E toca pedir informação…

Por isso, na dúvida pare, olhe e escute! Outra coisa importante é que todo mundo concorde com o trajeto escolhido, se não fica aquela coisa de “Por que você entrou à esquerda?”, “Falei que a gente pegou retorno errado!”, “Olha, quer saber, dirige você então!” e “Eu não, dirigir é responsabilidade sua!”.

Falando em dirigir, como o caminho é longo, revezar a pilotagem é sempre bom e evita acidentes. Aqui é preciso entender que cada um tem seu estilo, seu jeito de guiar. O importante mesmo é não sair da rota: Autonomia, aí vamos nós!

Ah, e pelo amor de Deus, nunca deixe alguém sem habilitação dirigir. Isso parece meio óbvio, mas é muito comum ver menores sem habilitação chegando em Felicidade, Liberdade e tentando entrar em Sucesso!

Como o trajeto é longo, também não subestime o tempo de viagem. Afinal, a gente sempre acha que vai terminar as coisas muito antes do que a gente realmente termina – quem já reformou casa que o diga!

Às vezes, vale a pena perder um dia ou dois de viagem para jogar conversa fora, fazer piquenique, rever a rota diante de um imprevisto, porque é tudo isso que vai contar quando a viagem acabar. Sim, porque ela acaba.

Aliás, o bom de qualquer viagem não é o fim, é o meio. Ah, só mais uma coisinha: como em qualquer viagem, viaja melhor quem já conhece os caminhos.

Por isso, caro leitor, foco na autonomia. É dessa forma que vocês vão preparar seus filhos para que eles se tornem gente grande. E “gente grande” aqui não se refere a adultos, mas a grandes seres humanos! Boa viagem!

Foto road in the spring, Shutterstock.

Adriana Spacca Olivares Rodopoulos
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários