Inteligência financeira na hora de alugar seu imóvel!Márcia comenta: “Navarro, seu blog é ótimo. Olha, recentemente passei por alguns problemas ao alugar um de meus imóveis. Fui mal assessorada por familiares e acabei tendo problemas com a reforma do imóvel, cujos valore foram pagos por mim. Como funciona a locação neste sentido? Nós, donos, somos responsáveis por reformar o imóvel? Há algum objeto contratual que trate dessa questão? Aproveito e peço para que também nos dê mais dicas neste sentido. Desde já, muito obrigada”.

Olá Márcia, seja bem vinda ao Dinheirama. Infelizmente, as práticas diárias de negócios não favorecem o aprendizado de técnicas e dicas para melhores decisões sobre o aluguel[bb] de imóveis. As imobiliárias normalmente se responsabilizam por tudo, mas ainda assim ficam disponíveis excelentes oportunidades de contratos sem sua intermediação. Como redigir um bom contrato? Que aspectos devem ser levados em consideração? Prometo tentar ajudar.

As famosas benfeitorias
Há muita confusão na cobrança de reparos realizados no imóvel, especialmente quando estes são feitos pelos inquilinos. Locador e locatário, vocês sabem exatamente em que situações é preciso pagar por uma benfeitoria no imóvel? Vejamos:

  • Reformas, gastos e benfeitorias relacionadas à segurança e estrutura do imóvel podem ser feitas pelo inquilino e cobradas do proprietário. Estas despesas devem ser pagas pelo dono ainda que os contratos mais comuns normalmente tragam uma cláusula que menciona o não comprometimento do locador em ressarcir o locatário em relação a qualquer benfeitoria.
  • Gastos espontâneos e benfeitorias de caráter estético podem ser feitas pelo inquilino, mas não devem ser ressarcidas pelo locador. Neste caso, o dono deve preocupar-se em detalhar bem a vistoria inicial de entrega do imóvel e manter contato com o inquilino, evitando assim surpresas no aspecto físico do bem.

Você pode fazer mais, muito mais!
Imóveis são alternativas interessantes de investimento, especialmente se localizados em áreas de grande procura e valorização. No entanto, alugar uma casa ou apartamento, requer alguns cuidados. Listarei algumas dicas simples e úteis para que você possa aproveitar o potencial de seu imóvel e evitar problemas:

Conheça melhor quem vai alugar seu imóvel. Peça referências, telefone para alguns de seus colegas de trabalho e familiares. Procure manter contato e tenha os endereços e telefones do inquilino sempre à mão.

Conheça ainda melhor a imobiliária. Se você prefere negociar através de uma imobiliária, analise muito bem a empresa, procure informações sobre seus sócios, bens administrados e tente obter opiniões de outros donos de imóveis que já usam os serviços da empresa.

Sempre registre o contrato no Cartório de Títulos e Documentos. Lembre-se também de incluir no contrato as garantias oferecidas pelo inquilino.

Visite o imóvel. Você alugou a casa, mas ela continua sendo sua e está no mesmo lugar. Combine com o inquilino uma visita anual ou semestral e fique por dentro do que ele anda fazendo lá.

Exija os comprovantes das contas em seu nome. Condomínio e IPTU são pagos pelo inquilino, mas estão no seu nome. Você não quer ver seu nome sujo por ai, quer?

Sempre passe as contas de água, luz e telefone para o nome do novo morador. Hoje em dia, isso é feito por telefone e internet, exigindo pouco tempo. Durante o período em que o imóvel está alugado, a responsabilidade de arcar com esses valores é do inquilino e assim você evita possíveis dores de cabeça com credores no futuro.

Se for apartamento ou condomínio, faça questão de entregar pessoalmente uma cópia da convenção do condomínio e(ou) regulamento. Seu inquilino deve perceber que respeitar as regras é uma atitude de grande valor para você. Além disso, a entrega pessoal destes itens reforça a importância do imóvel em sua vida. Zêlo é a palavra de ordem.

Ao término do contrato, faça uma vistoria detalhada e paciente. Esteja presente, faça comparações com o documento inicial de vistoria e verifique cada um dos pontos citados no documento. Se o inquilino está devendo e um acordo de pagamento for firmado, exija que o fiador também assine o documento. Preocupe-se com o imóvel, mas também com a total transparência das contas e dívidas do período.

Cobre por danos causados ao seu imóvel. Exija o cumprimento do contrato e, havendo algum problema no imóvel, converse diretamente com o inquilino e cobre providências. O apartamento é seu, a responsabilidade de mantê-lo inteiro e conservado também.

Ainda que um de meus gurus, Stephen Kanitz, acredite que imóveis são coisa do passado, decidi escrever esta série de artigos. Vou preparar um material semelhante, mas focado nas dúvidas mais frequentes de quem aluga. Alguns leitores já enviaram perguntas neste sentido e as aproveitarei para o próximo artigo sobre inquilinos e a vida de aluguel. Espero que tenham gostado. Comentem.

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários