Home Carreira O “inferno astral” de Eike Batista e sua queda no ranking dos mais ricos

O “inferno astral” de Eike Batista e sua queda no ranking dos mais ricos

por Willian Binder
0 comentário

O “inferno astral” de Eike Batista e sua queda no ranking dos mais ricosEike Batista não está passando por bons momentos ultimamente. Após ver sua fortuna diminuir US$ 10,1 bilhões em 2012 e perder o lugar de homem mais rico do Brasil para Jorge Paulo Lemann, o empresário agora foi ultrapassado por Joseph Safra e caiu para 4ª posição entre os brasileiros mais ricos.

No ranking publicado pela Bloomberg, Eike está atrás de Lemann (37º do ranking internacional, com fortuna estimada em US$ 19,1 bilhões), da empresária Dirce Camargo (64ª, com US$ 14,1 bilhões) e do banqueiro Joseph Safra (86º, com US$ 12 bilhões).

O mais curioso dessa trajetória de Eike é que, há quase 2 anos, ele disse que seria o homem mais rico do mundo. “Preciso competir com o sr. Slim [o mexicano Carlos Slim, que lidera o ranking de bilionários da revista ‘Forbes’]”, disse o brasileiro na época. “Não sei se vou ultrapassá-lo pela direita ou pela esquerda, mas vou passá-lo”, completou.

Desde então ele conseguiu alcançar o posto de 7º homem mais rico do mundo, segundo ranking da Forbes, mas após isso uma série de acontecimentos negativos com suas empresas e com o mercado fez a fortuna do empresário despencar.

Entre os mais recentes acontecimentos está a multa de R$ 1,3 milhão que a OSX, do grupo de Eike Batista, terá de pagar por salinização no Porto de Açu. Carlos Minc, secretário do Ambiente do Estado do Rio de Janeiro, classificou de “eticamente deplorável” o comportamento da OSX. Além disso, a petrolífera OGX, que também faz parte do grupo, perfurou um poço seco em Campos.

A notícia informava que a empresa perfurou um poço no prospecto de Cozumel, mas não encontrou indícios de petróleo. O resultado foi desastroso para duas empresas de Eike na Bovespa: a OGX fechou em queda de 6,18% e a OSX desabou 8,54% quando do acontecimento.

Ainda no último mês foi divulgado que o Hotel Glória não ficará pronto para a Copa do Mundo de 2014. Segundo a publicação, o hotel, que está sendo reformado pela REX, mais uma empresa do grupo EBX, terá suas obras terminadas em maio ou junho do ano que vem. O Hotel Glória foi comprado em 2008 pelo empresário e recebeu financiamento de R$ 190,6 milhões do BNDES, pelo programa ProCopa Turismo.

Por que a notícia é importante?

A oscilação na fortuna de Eike Batista é, basicamente, um reflexo da oscilação nos preços das ações de suas empresas. Isso significa, entre outras coisas, que sua fortuna está associada ao mercado de capitais e que ele detém grande quantidade de ações das empresas de capital aberto do grupo.

O investimento em ações é uma alternativa interessante para quem deseja associar-se a empresas com potencial, mas tem essa característica de risco que vemos na situação de Eike. O famoso “sobe e desce” nem sempre é saudável para todo tipo de investidor, por isso é importante determinar se seu perfil é compatível com a natureza deste investimento.

Apostas na recuperação de Eike?

Hoje, Eike está na 93ª colocação entre os mais ricos, com uma fortuna avaliada em US$ 11,4 bilhões. Ele está a “apenas” US$ 600 milhões de deixar o ranking da Bloomberg, que mostra apenas os cem homens mais ricos do mundo.

Para quem já foi o 7º homem mais rico do mundo, uma recuperação é mais do que esperada. O que você acha dessa trajetória de Eike? Como ele irá se recuperar? Quando? Você apostaria nisso?

Fonte: Folha. Foto: divulgação.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.