Você sabe a diferença entre investimentos prefixados e pós-fixados? Ao investir em renda fixa, escolher entre estas alternativas e compor uma carteira de forma inteligente sabendo as diferenças é fundamental.

Quando se trata de realizar investimentos de baixo risco, é importante aprender como a taxa básica de juros influencia as diferentes aplicações e o impacto de variáveis como inflação nos rendimentos. E tudo isso tem relação direta com os tipos de investimentos.

Um investimento prefixado pressupõe conhecer de antemão a taxa combinada de retorno a ser paga anualmente, representando assim o mais simples tipo de aplicação em renda fixa – um CDB que paga 10% ao ano, por exemplo, pagará esta taxa independentemente do que ocorrer com a Selic ou qualquer outro indicador.

Já os investimentos pós-fixados são associados a indicadores e seu percentual exato de retorno (juros sobre o montante investido) só será conhecido ao longo do tempo. Uma LCI que paga 95% do CDI tem sua rentabilidade calculada diariamente (o CDI é calculado desta forma), por exemplo.

Além da compreensão simples em relação a estas diferenças, é importante discutir quando cada um destes investimentos de renda fixa faz mais sentido dentro de um contexto de carteira e objetivos familiares – e abordaremos isso também no vídeo.

Neste vídeo, abordaremos, entre outras coisas:

  • O que são os investimentos prefixados e pós-fixados;
  • Diferenças entre prefixados e pós-fixados;
  • Qual o melhor investimento considerando o perfil de cada investidor?
  • Decida-se entre prefixados e pós-fixados com inteligência, calma e conhecimento.

Assista, entenda e comente.

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários