Você já fez algum investimento através de uma corretora de valores? Se você respondeu afirmativamente, saiba que você faz parte de um grupo muito pequeno de pessoas, se considerarmos aquelas que fazem seus investimentos através dos bancos tradicionais.

Neste caso, você que já é investidor através de uma corretora, poderá nos ajudar a replicar este conteúdo para seus familiares e amigos. Por outro lado, se você nunca investiu através de uma corretora de valores, então você aprenderá algumas coisas importantes que irão te ajudar a cuidar melhor do seu dinheiro.

O primeiro ponto que o investidor precisa saber é que há diferenças entre os esforços dos bancos e das corretoras de valores na oferta de serviços aos clientes. É claro que ambos procuram meios para gerar lucros, mas esses meios podem favorecer mais ou menos o cliente final: você.

O lucro dos bancos, seus interesses e seus clientes

Os bancos ganham dinheiro de muitas formas, mas destaco a captação de recursos através dos CDB’s (Certificados de Depósito Bancário) e os empréstimos. Aliás, uma coisa fomenta a outra.

Os bancos também costumam oferecer (e vender) mais títulos de capitalização do que títulos públicos. Isso mostra que o banco não parece ter real interesse em ofertar um produto que seja realmente bom para o seu cliente.

E um dos motivos do sucesso de vendas de títulos de capitalização é que a maioria das pessoas não tem interesse em se educar financeiramente, e terminam pagando caro por isso.

Leitura recomendadaCuidado com os títulos de capitalização

Quando mais dinheiro o banco conseguir captar em produtos que façam com que os recursos financeiros dos clientes fiquem no próprio banco, melhor para ele, pois estes recursos serão utilizados para fazer empréstimos para outras pessoas.

Como os juros cobrados nos empréstimos são muito mais altos que os juros pagos para captar esse dinheiro, o lucro dos bancos é alto. Esta manobra se chama spread bancário.

Veja, não estou escrevendo isso para falar mal dos bancos. O objetivo é mostrar que a maneira como os bancos lucram, fazem com que seus gestores definam estratégias de captação de recursos usando produtos que nem sempre são bons para o cliente.

Nem sempre, porque por exemplo, um CDB com taxas convidativas, são bons investimentos. Por outro lado, um título de capitalização é péssimo!

O lucro das corretoras de valores, os seus interesses e seus clientes

As corretoras de valores ganham dinheiro quase que exclusivamente através das taxas cobradas nos produtos de investimento que oferecem.

Como há muitas destas taxas que estão associadas aos lucros que seus clientes obtém através dos investimentos, há um grande interesse por parte das corretoras que seus clientes sejam bem sucedidos nos seus investimentos, e que o façam da melhor forma possível, com inteligência, planejamento e estratégias vencedoras.

Sendo assim, as melhores corretoras de valores investem pesado em programas educacionais para os seus clientes, pois sabem que quanto mais conhecimento seus clientes tiverem, mais chances de lucros eles terão, e com isso, irão desejar investir mais, alimentando um ciclo virtuoso tanto para a corretora quanto para o cliente.

Veja, não estou escrevendo isso para falar bem das corretoras. O objetivo é mostrar que a maneira como as corretoras de valores lucram, fazem com que seus gestores definam estratégias de captação de recursos usando produtos que costumam ser bons para o cliente.

Leitura recomendadaPasso a passo para trocar a poupança por um investimento melhor

O tesouro direto, por exemplo, costuma ser o carro chefe das corretoras, junto com vários outros tipos de produtos de renda fixa e variável, incluindo os fundos de investimento.

Quais os riscos de ambos?

Tanto um banco quanto uma corretora de valores mal administrados podem quebrar. E neste caso, há mecanismos que protegem os clientes de ambos, mas há burocracias envolvidas.

Por exemplo, o FGC (Fundo Garantidor de Crédito), cobre os prejuízos de um investimento em caso de quebra da instituição financeira (corretoras, bancos, etc) até R$ 250.000,00 (há algumas regras específicas que podem ser conferidas clicando aqui).

Por outro lado, se seu dinheiro estiver parado na conta de uma corretora, o FGC não cobre o prejuízo em caso de quebra. Então, o melhor é manter seu dinheiro sempre investido, até porque o dinheiro parado é corroído pela inflação.

Vídeo recomendadoFundo Garantidor de Crédito (FGC): saiba o que é, como funciona e como acioná-lo

Não seja um acomodado

Os grandes bancos também possuem suas próprias corretoras. Assim, ainda que você melhore seus conhecimentos sobre investimentos, e passe a utilizar as corretoras dos bancos, não se limite somente à elas.

Analise as taxas cobradas pelas corretoras independentes, além das ferramentas de acesso pela internet que ambos oferecem e dos programas educacionais, que farão você aprender mais e economizar muito dinheiro com cursos pagos.

Muitas pessoas evitam abrir contas em corretoras de valores independentes, apenas por achar o processo complicado, mas na verdade é muito mais simples que abrir uma conta no banco, e é feito pela própria internet.

Se você quiser experimentar abrir uma conta gratuita para conhecer como funciona o lado operacional de uma corretora, como funciona o acesso aos clientes pela internet, mas principalmente para ter acesso à todas as salas online onde vários professores ensinam diariamente sobre como investir melhor o seu dinheiro, então clique aqui.

Ao clicar, você será direcionado para o site de cadastro gratuito de contas da corretora Rico.com.vc. Porque a Rico? Porque é a única que posso indicar no momento, uma vez que eu nunca utilizei o serviço de outra, além do fato de estar muito satisfeito com o atendimento e com as preciosas trocas de conhecimento nas salas online.

Ebook gratuito recomendadoInvista sem medo em títulos públicos

De qualquer forma, fique à vontade para abrir sua conta na corretora que desejar. Apenas sugiro que você não se acomode, pois a responsabilidade por cuidar bem do seu dinheiro é sua e não do seu gerente de banco. Um grande abraço a até a próxima!

Giovanni Coutinho
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários