cdb-poupança-postOutro dia uma amiga recebeu R$10 mil e, como boa mineira que ela é, me ligou querendo conselhos para aplicar o “dindin”. Fui com ela até a agência dela e deixei que ela conversasse com o gerente.

Depois do “menino” bombardeá-la com um monte de siglas indecifráveis para o cidadão comum, decidi intervir para tentar simplificar. O dinheiro era importante pra ela e eu não achei legal que minha amiga aplicasse em alguma coisa que não conseguisse entender. No final das contas isto nos restringiu apenas à boa e velha poupança e ao CDB.

O gerente tinha os 2 produtos: a poupança com sua rentabilidade oficial, que hoje gira em torno de 6,3% a.a., e o CDB, oferecido com rentabilidade de 80% do CDI. Minha amiga logo olhou pra mim esperando a solução e eu… travei!

Pensei comigo: “A agora? Xiiiii… não sei qual dos 2 escolher de imediato. Preciso fazer as contas e consultar outras fontes”. Essa atitude nos levou a ter que adiar a aplicação em algumas horas.

Confesso que percebi que isto a decepcionou um pouco. Por isso decidi compartilhar com vocês minha conclusão, considerando as taxas atuais de mercado. Vejam a tabela abaixo:

tabela-cdb-poupança

Então, a regrinha de bolso para os outros amigos mundo afora é: defina em qual das quatro colunas de prazo da tabela acima você está. A partir daí, exija no mínimo o percentual constante da 2ª linha para trocar a poupança pelo CDB.

No caso da minha amiga, com o CDB rendendo 80% do CDI, ela só deveria optar pela poupança se fosse precisar do dinheiro antes de 6 meses. Ou seja, se sua decisão fosse por uma aplicação de curtíssimo prazo. Caso pudesse manter o dinheiro aplicado por mais tempo que isto, ela deveria ficar com a oferta do CDB.

Cabe lembrar que o percentual do CDI oferecido nos CDBs pode e deve ser negociado. Quanto maior melhor. Até a próxima.

Foto: Shutterstock, Golden coins in soil with young plant isolated. Money growth.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários