Você não fica rico porque aprendeu a investir bem seu dinheiro; você enriquece quando é capaz de gerar cada vez mais renda, e de forma constante.

Aprender a investir pressupõe proteger seu patrimônio, o que é diferente de fazê-lo crescer.

“Ah, mas quando você aprende a investir, você também aprende a multiplicar seu dinheiro”. Não raro, me deparo com muitas pessoas pesquisando e discutindo as “melhores alternativas de investimento” para “multiplicar seu dinheiro” com segurança e boa rentabilidade. Justo, mas insuficiente.

Nassim Taleb, sempre assertivo e fulminante nas suas observações já disse que “você leva 5 anos para aprender a ganhar dinheiro, mas pelo menos 25 anos para aprender a não perdê-lo”.

Leia também: Os perigos da dependência de uma única fonte de renda

Concentre as energias na geração de renda

Ao jovem, o recado é ainda mais importante: concentre suas energias na geração de renda. Arrisque para ter melhores oportunidades de aumentar a velocidade com o que o dinheiro vem até você.

O hábito de poupar e investir desde sempre é importante, mas ele só faz sentido se você considerar que sua carreira tem perspectiva e que sua renda com o trabalho é (e será) proporcional ao quanto você se aperfeiçoa e se dedica a ele.

Dinheiro agora e você capaz de gerá-lo sempre. Renda.

Não se engane, seu futuro depende mais disso do que de escolhas inteligentes de investimento baseadas em especialistas e “dicas” de youtube. Comece com isso, sem dúvida.

Leia também: Aprenda a construir a sua independência financeira (sim, você também pode!)

Investir (bem) é fundamental

Não pretendo jogar contra meu próprio time, fique tranquilo. Investir é importantíssimo e necessário, parte de uma estratégia inteligente e aspecto essencial da prática da educação financeira. Mas renda vem primeiro.

Empregabilidade, e não apenas emprego. Trabalho, e não apenas profissão. Empreendedorismo, e não apenas juros compostos. Risco, e não apenas rentismo.

Investir ou gerar renda, afinal? Trata-se de um falso dilema. O melhor investimento é aquele que você faz, mas para isso você precisa ter dinheiro, renda e capacidade de sustentar essa realidade por toda uma vida. O fluxo de caixa sempre vem antes da contabilidade.

Assista ao vídeo: Quer ficar rico? Preocupe-se primeiro (e muito mais) com Renda (e não investimentos)

Em busca da (verdadeira) independência

Sua capacidade de “fazer dinheiro” (hoje e sempre) é o que fará de você uma pessoa independente, enquanto sua habilidade para não perder o que conquistou o tornará financeiramente independente.

Independência financeira, portanto, é sinônimo de ser capaz de gerar renda enquanto não transforma o patrimônio já conquistado em passivos sugadores de dinheiro.

É bem óbvio, eu sei, mas o dilema e o excesso de informação têm travado a mente de algumas pessoas, impedindo-as de agir.

Há quem queira saber onde investir, mas sem ter dinheiro pra isso e em uma fase da vida cujo foco deveria ser “apenas” a geração de renda, o fluxo de caixa.

Quem pratica e desenvolve sua capacidade de gerar dinheiro nunca fica sem oportunidades, ainda mais por aqui. E quem, além disso, aprende a se proteger e investir em ativos, dificilmente fica sem dinheiro.

O dilema não existe; existem prioridades, fases da vida e a realidade. Faz sentido?

Tamo junto! Fui…

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários