Home Economia e Política Japão revisa para baixo PIB do 1º tri; confiança de serviços piora

Japão revisa para baixo PIB do 1º tri; confiança de serviços piora

O PIB do terceiro e quarto trimestres do ano passado também foi revisado para baixo.

por Reuters
3 min leitura
Japão
O PIB do terceiro e quarto trimestres do ano passado também foi revisado para baixo

O Japão revisou para baixo o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre nesta segunda-feira e a confiança empresarial do setor de serviços piorou em junho devido a preocupações com o aumento dos custos, compensando a melhora na confiança da indústria e indicando fraqueza do consumo.

Mas a pesquisa trimestral “tankan” mostrou que as empresas planejam aumentar os gastos de capital e projetam que a inflação ficará em torno da meta de 2% do Banco do Japão nos próximos anos, mantendo vivas as expectativas do mercado de um aumento da taxa de juros no curto prazo.

Os resultados, que foram divulgados antes da próxima reunião de política monetária do banco central, em 30 e 31 de julho, complicam sua decisão sobre quando aumentar os juros, segundo analistas.

“A melhora na confiança das empresas pode ter atingido seu pico, particularmente para os não manufatureiros. Esses dados não ajudam necessariamente o Banco do Japão a defender um aumento dos juros”, disse Toru Suehiro, economista-chefe da Daiwa Securities.

“Mas as expectativas de inflação corporativa aumentaram ligeiramente, o que provavelmente manterá vivas as expectativas do mercado para um aumento dos juros no curto prazo.”

Uma rara revisão para baixo não programada dos dados históricos do Produto Interno Bruto (PIB) do Japão mostrou que a economia encolheu mais do que o relatado no primeiro trimestre, o que provavelmente forçará o Banco do Japão a cortar suas previsões de crescimento este mês.

Separadamente, a pesquisa “tankan” do banco central mostrou que as empresas do setor de serviços estavam menos otimistas em junho do que há três meses, sugerindo que um mercado de trabalho apertado e um consumo fraco estavam prejudicando o sentimento.

Um índice do sentimento das grandes empresas não manufatureiras caiu para +33 em junho, de +34 em março, em linha com as estimativas do mercado e piorando pela primeira vez em dois anos.

Em contrapartida, o índice que mede o humor dos grandes fabricantes aumentou para +13 em junho, de +11 em março, superando a previsão de uma leitura de +12.

As grandes empresas planejam aumentar as despesas de capital em 11,1% no atual ano fiscal, que termina em março de 2025, após uma avanço de 10,6% no ano anterior, mostrou o tankan.

As expectativas de inflação corporativa de longo prazo aumentaram ligeiramente, com as empresas projetando que a inflação atingirá 2,3% daqui a três anos e 2,2% daqui a cinco anos, mostrou o tankan.

Por sua vez, uma revisão dos dados históricos mostrou que o PIB do Japão encolheu 2,9% em termos anualizados entre janeiro e março, contra estimativa anterior de uma contração de 1,8%, refletindo correções em dados anteriores sobre encomendas da construção.

O PIB do terceiro e quarto trimestres do ano passado também foi revisado para baixo.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.