Home Economia e Política Jornalista da Forbes Rússia é detido sob suspeita de divulgar “notícias falsas” sobre Exército

Jornalista da Forbes Rússia é detido sob suspeita de divulgar “notícias falsas” sobre Exército

A Forbes Rússia afirmou que não conseguiu entrar em contato com o repórter

por Reuters
0 comentário

Sergei Mingazov, jornalista da edição russa da Forbes, foi detido sob suspeita de divulgar informações falsas sobre o Exército russo, informou a revista nesta sexta-feira.

Konstantin Bubon, advogado de Mingazov, disse no Facebook que seu cliente estava em um centro de detenção na cidade de Khabarovsk, no extremo leste do país, onde mora. A Forbes Rússia afirmou que não conseguiu entrar em contato com o repórter.

As leis aprovadas logo após a invasão em grande escala da Rússia na Ucrânia, em fevereiro de 2022, determinam longas penas de prisão para pessoas condenadas por divulgar deliberadamente notícias falsas sobre as Forças Armadas.

APRENDA COMO MULTIPLICAR E PROTEGER SEU CAPITAL INVESTIDO POR MEIO DAS CRIPTOMOEDAS E ACELERE A SUA JORNADA RUMO À LIBERDADE FINANCEIRA

O advogado disse que Mingazov foi detido por republicar postagens sobre supostos crimes de guerra russos na cidade ucraniana de Bucha, onde assassinatos de civis ucranianos nas primeiras semanas da guerra foram relatados pela Reuters e outras organizações de notícias. O Kremlin negou que suas tropas tenham executado pessoas e disse que houve uma “falsificação monstruosa”.

O canal de Telegram de Mingazov contém dezenas de publicações referentes a Bucha. Não ficou claro qual deles foi o motivo para colocá-lo sob investigação.

O projeto russo de direitos humanos OVD-Info disse que o tribunal distrital de Khabarovsk consideraria colocá-lo sob prisão formal no sábado.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.