Liderança: Cachoeiras e Seus EnsinamentosTodas as pessoas buscam a grandeza, assim como todos os rios e riachos buscam os oceanos. A trajetória rumo a excelência na liderança pode não ser tranquila ou pode até mesmo ser interrompida por revezes.

Vez por outra, existirão quedas inesperadas como as cachoeiras. Para alguns, uma experiência fatal; para outros, uma bela oportunidade para moldar a vida, sua capacidade de liderar e gerar novas paisagens no planeta mercado.

Lideres que despertam para sua trajetória de valor, e seguem constantes como os rios em sua corrente, sabem que serão acompanhados por três fatores contínuos quando um desafio aparece: mudanças, princípios e escolhas.

As mudanças trazem consigo a exigência de realinhar-se. Um rio sempre muda depois de uma cachoeira, além do que essas quedas deixam a paisagem mais bela. Ainda que situações como os erros e fracassos façam parte do trajeto e sirvam de aprendizado, dando-nos uma topografia diferente, como poderíamos nos assegurar de que os obstáculos sejam a favor e não contra? Há que se experimentar a mudança.

Os princípios são leis universais. Quando um rio depara-se com uma queda, já sabe que suas aguas despencarão. Para o rio, a lei da gravidade é um princípio. Não basta ter pensamento positivo, afinal as consequências dos princípios são inalteráveis. Todavia, o beneficio é que seus resultados são previsíveis.

Os princípios estão lá fora e não podem ser quebrados. O fato é que apenas quebramos a nós mesmos quando tentamos ludibriar a mãe natureza. A queda sugere perigo e morte, é uma inferência do perdedor. Mas para um rio constante, usar o princípio não implica em “se vai cair ou não”, mas “como” cair.

Em outras palavras, o rio usa a queda (o principio da lei da gravidade) a seu favor. Não devemos evitar os princípios, mas absorvê-los como nossos valores. Para lidar bem com as mudanças indesejadas, o rio não tenta mudar a lei da gravidade, mas rende-se a ela e se beneficia dela. Mas como?

As escolhas tornam tudo possível. Escolhas são poderosas porque é o privilégio que cada um de nós tem para decidir se vamos ou não usar os princípios a nosso favor mediante as mudanças que ocorrerão. Elas são o poder de impactar de forma significativa as outras duas constantes mencionadas acima.

Quando as mudanças são enormes e os princípios parecem não ser um benefício, podemos seguir o exemplo dos rios que se transformam em cachoeiras. Podemos escolher usar o princípio em nosso benefício mediante as mudanças.

Ora, os rios usam a gravidade para ganhar velocidade, usam sua flexibilidade para contornar ou sobrepor obstáculos e passam a ser novos. Para alguns, uma queda significa estar fragilizado e mais longe de seu objetivo, mas para os rios ela significa renovação, aprendizado e liderança.

Cachoeiras geram um novo nível de vida. Para alguns, o rio estará em nível mais baixo, mas para o seu proposito interno, ele está mais próximo da grandeza e ainda mais formoso. Afinal, não estará ele mais perto do oceano?

Lembre-se sempre que desfrutar da jornada ainda que existam percalços é um dos desafios da liderança, o que faz dela ainda mais interessante. Compartilhe seus insights e experiências comigo e com mais leitores. Sua superação pode ser a inspiração para muitos, então use o espaço de comentários abaixo. Até a próxima.

Foto Ban Gioc waterfall, Shutterstock.

Alex Arcanjo
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários