dinheirama-post-lideranca-perola-porta-joiasTempos atrás tive a oportunidade de participar de um treinamento onde ouvi pela primeira vez a seguinte parábola:

Um mercador que estava sempre à caça de joias preciosas por fim achou a pérola perfeita. Pediu aos artesãos mais competentes que fizessem um porta-joias à altura, com o interior revestido de veludo azul. Deixou sua pérola de grande valor exposta para que todos partilhassem do tesouro e fazia questão de observar a reação das pessoas que vinham admirá-la. Em pouco tempo, ficou bastante aborrecido, pois o que mais chamava a atenção das pessoas não era a pérola em si, mas o porta-joias”.

Vivemos uma época em que o foco está no porta-joias. Trata-se das aparências, do “parecer ser” e do ter. A era das coisas. Uma época em que existe muita discussão sobre ferramentas de gestão e pouco sobre desenvolvimento de pessoas.

Gerimos muito bem as coisas, mas esquecemos de que lideramos pessoas, afinal, são elas que aprimoram e fazem evoluir um processo ou sistema – um equivoco muito comum é dar prioridade e valor nas coisas até o ponto em que (“sem perceber”) tratamos pessoas como objetos.

Uma razão que nos leva a interpretar essa situação atual é que vivemos com modelos de desenvolvimento humano (escolas, faculdades e etc.) do século XIX. Nossos gestores e instrutores são do XX e presenciamos uma mudança gigantesca no XXI.

No passado, o capital das grandes empresas estava nas maquinas. O ser humano era detalhe. A submissão a longas horas de trabalho operacional minguava o potencial e talvez explique a razão de serem chamados de recursos humanos, afinal contribuíam apenas com braços e pernas e não com a mente e o coração.

Pessoas se sentiam coisas e eram tratadas como tal. Muitos ainda seguem essa filosofia e nunca conseguem despertar o potencial das pessoas (pérolas) porque foram treinados dentro do conceito de gestão (porta-joias).

Para muitos o sucesso está no porta-joias, mas líderes de verdade reconhecem o sucesso quando pessoas de sua organização tem maior qualidade de vida, sentem-se renovados pelo aprendizado contínuo, seus relacionamentos são fortalecidos e seu trabalho soa como uma contribuição ímpar. Líderes estimam as pérolas.

Líderes têm missão de vida, gestores têm carreira. Para quem tem um propósito claro, o serviço é sempre abnegado. A contribuição não espera retorno, nada em troca, porque a satisfação está por si só na alegria de fazer a diferença na vida das pessoas. Líderes buscam isso.

Mas se você trabalhar para resolver os seus problemas apenas, então terá uma carreira. Tenderá a trabalhar pensando apenas no que receberá em pagamento. Uma carreira de sucesso é como valorizar apenas o porta-joias, mas uma missão de vida é fundamentada nas pérolas.

Grandes líderes costumam ter mais êxito porque oferecem muito mais em seu serviço do que recebem em pagamento. O mercado costuma reconhecer e pagar muito bem os gestores, mas líderes deixam um legado e tornam-se inesquecíveis.

Creio que o exemplo mais significativo de liderança ocorre dentro do próprio lar. Pense no que sua mãe e pai fizera ou têm feito por você? Eles trabalham por seus filhos sem esperar nada em troca, apenas pela satisfação de serem bons pais, mesmo que seus filhos os desapontem ou os machuquem.

Isso ocorre porque eles têm um senso de propósito claro e nobre, que tem feito parte de nossa natureza. Para os pais, seus filhos são pérolas e não porta-joias. Você conhece alguma faculdade de mãe e pai? Você alguma vez já considerou como carreira esse majestoso trabalho? Pergunte a si mesmo quem são as pessoas que mais marcaram sua vida? Os pais geralmente estão no topo da lista.

O credor e o devedor são pérolas. Cobrança é porta-joias. O vendedor e o comprador são pérolas. As técnicas de vendas são o porta-joias. Se eu dissesse possuir um sistema de cobrança ou vendas infalível, você gostaria de conhecê-lo imediatamente? Creio que sim. Falar de porta-joias é sempre mais atraente, afinal é o que traz resultado em curto prazo. É a resolução de problemas agudos.

Mas, e se eu dissesse possuir treinamentos infalíveis em liderança para vendedores e cobradores, você ouviria com o mesmo entusiasmo? É provável que não. Liderança é um trabalho de longo prazo e resolve problemas crônicos. Não se trata de band-aids, métodos paliativos.

Porta-joias tem um papel importante e geralmente o cumpre adequadamente, mas ele por si só não pode ser mais importante que as pérolas – do contrário, não teria razão de existir. Porta-joias vivem em função das perolas, para servi-las. Lideres não perdem a visão desta distinção. Ambos são importantes, mas cada um deve cumprir seu papel sem perder de foco as prioridades.

E como anda sua carreira? Como foco nas pérolas ou nos porta-joias? Se sua resposta é que você não tem carreira, mas um propósito de vida para com as pérolas, então posso afirmar que compreendeu o artigo e já iniciou sua trajetória de liderança. Ficaria feliz se compartilhasse sua opinião comigo. Até a próxima.

Foto pearl beads, Shutterstock.

Alex Arcanjo
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários