Livro - O que as mulheres querem saber sobre finanças pessoaisLivro: O que as mulheres querem saber sobre Finanças Pessoais
Autor: Humberto Veiga
Editora: Thesaurus
Páginas: 156
Preço médio: R$ 30,00
Livro 100% nacional
Compre o livro no Submarino [clique aqui]

Finanças sem economês, com foco na mulher (não só)
Humberto Veiga, doutor em economia pela Universidade de Brasília, adota uma abordagem bastante singular em seu livro.

Os conceitos práticos de economia e investimentos são apresentados no formato de perguntas e respostas, permitindo que a leitura flua como um bate-papo, apesar de funcionar muito bem também como fonte futura de consulta. Com muito bom humor e linguagem simples, Veiga traça importantes paralelos entre a economia real do país e a vida financeira cotidiana de seus leitores.

Temas complexos, normalmente discutidos apenas por especialistas, são explicados com didatismo e paciência, sempre com exemplos reais pertinentes. Apesar do claro foco nas mulheres, vindo da extensa pesquisa do autor nesse universo, as dicas são excelentes também para os homens.

Seções claras, perguntas e respostas inteligentes
Antes de responder aos principais questionamentos levantados em seu estudo, e com o objetivo de situar o leitor diante das principais variáveis financeiras do dia-a-dia, Humberto apresenta explicações importantes sobre fundos de investimento, ativos, DI, taxa Selic, títulos e alavancagem. O livro está dividido em seis seções principais, cada qual com uma série de perguntas e comentários. São elas: decisões de investimentos; bolsa de valores; finanças pessoais; financiamento imobiliário; controle de gastos; e negociações;

As decisões de investimentos
O aspecto humano levado em consideração chamou-me a atenção. Humberto acredita, assim como eu, que muitas decisões de investimento devem estar mais intimamente ligadas a certos aspectos pessoais que ao mercado em si.

“O método para escolher entre as diversas opções de investimento se inicia por uma clara definição de sua parte dos seguintes fatores de atuação estratégica: qual o seu objetivo, em quanto tempo pretende atingi-lo e qual o nível de risco que você consegue suportar”

Segundo o livro, para decidir-se diante das inúmeras alternativas de investimento, é importante pesquisar os produtos disponíveis, informar-se através de periódicos, bibliografia especializada e responder quatro perguntas básicas:

  1. Qual o risco do investimento? Quanto eu posso perder, quanto eu posso ganhar e qual a probabilidade disso acontecer?
  2. Quanto custa o investimento? Qual a taxa de administração que o gestor cobra? QUal a taxa de performance, se é que ela existe? Há taxa de carregamento?
  3. Qual o prazo de carência, antes do qual meu dinheiro ficará retido ou será resgatado sem remuneração?
  4. Quanto de imposto eu terei que pagar sobre o meu rendimento?

Ainda no universo das aplicações e retorno futuro, importantes detalhes dos títulos públicos e planos de previdência privada (PGBL e VGBL) são explorados pelo autor.

Bolsa de valores
Dentre os destaque desta seção estão as excelentes definições para as ações e o funcionamento do mercado de capitais. Perguntas como “A partir de quanto é interessante investir na bolsa de valores?” e “Comprei ações e elas começaram a cair. Saio correndo ou ‘deixo a vida me levar’?” são respondidas com seriedade e conhecimento de causa, dando sempre especial importância ao risco:

“No caso das ações, você se vê sujeita a dois riscos de variação de preços: um deles é ligado à empresa específica que você adquiriu; o outro diz respeito ao mercado”

Finanças pessoais, controle de gastos e negociação
Há uma pergunta especialmente dedicada ao relacionamento entre gerentes de bancos e seus clientes, onde Humberto opina de maneira muito contundente sobre o papel da instituição e o encaminhamento de nossas dúvidas sobre decisões de investimentos e ofertas bancárias. Assim como ele, acredito que o gerente não deve ditar suas decisões de investimento, mas apoiá-lo na missão de entender e pesquisar as alternativas disponíveis.

Os capítulos dedicados ao controle de gastos e negociações são bastante focados nas finanças do dia-a-dia, o que dá ao livro um fôlego extra. Decisões cotidianas são analisadas sob o ponto de vista do consumidor consciente, de forma a discutir gastos supérfluos e juros com exemplos reais bastante didáticos. Comprar parcelado “sem juros” é bom? Como controlar os gastos com roupas e criar disciplina suficiente para poupar e investir?

Avaliação final
Perguntas comuns, comentários pertinentes e respostas inteligentes. Assim defino o livro onde Humberto Veiga resume o que as mulheres (e também os homens) devem saber sobre economia, gestão financeira pessoal e investimentos. Notas:

  • Linguagem e narrativa: 9
  • Exemplos práticos: 9
  • Temas abordados: 8,5
  • Preço: 7,5
  • Média: 8,5

Escrito em linguagem fácil e a partir de uma importante pesquisa, “O que as mulheres querem saber sobre finanças pessoais” é um passo inicial importante na vida daqueles homens e mulheres ainda desorganizados financeiramente e que, não raro, deixam-se levar pela onda consumista que assola nossa sociedade. Abordando, através de extensas observações práticas, aspectos simples do dinheiro, Humberto consegue trazer o universo das finanças para a nossa realidade. Recomendo.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários