Home Economia e Política Lucro dos bancos atinge R$ 145 bi em 2023, rentabilidade cai

Lucro dos bancos atinge R$ 145 bi em 2023, rentabilidade cai

As cooperativas de crédito eram responsáveis por 5,5% dos ativos totais no ano passado, contra 5,1% em 2022

por Agência Brasil
0 coment√°rio

O lucro l√≠quido dos bancos foi de R$ 145 bilh√Ķes no ano passado, alta de 5% na compara√ß√£o com 2022.

Enquanto isso, na mesma comparação interanual, a rentabilidade do sistema bancário foi de 14,1% no ano de 2023, queda de 0,6 ponto percentual.

A lucratividade √© a compara√ß√£o do lucro final com o faturamento e depende de custos e forma√ß√£o de pre√ßos, enquanto a rentabilidade compara o lucro final com o patrim√īnio e investimentos realizados, ou seja, com a capacidade do neg√≥cio de gerar retornos com base no que foi investido.

De acordo com o¬†Relat√≥rio de Economia Banc√°ria, divulgado nesta quinta-feira (6) pelo Banco Central (BC), a rentabilidade do sistema banc√°rio, medida pelo Retorno Sobre Patrim√īnio L√≠quido (ROE), apresentou leve redu√ß√£o em 2023 e distribui√ß√£o heterog√™nea dentro do grupo das institui√ß√Ķes financeiras (IFs) de maior import√Ęncia.

Ainda assim, a rentabilidade banc√°ria no Brasil est√° entre as mais elevadas do mundo, apesar do decl√≠nio observado nos √ļltimos dois anos, sendo superado por M√©xico e √ćndia e em um patamar similar √†¬†Indon√©sia.

‚ÄúO aumento de ativos problem√°ticos foi a principal causa da redu√ß√£o [na rentabilidade]. A distribui√ß√£o distinta do ROE entre as IFs decorreu principalmente do diferencial de sucesso nas estrat√©gias adotadas na gest√£o de risco de cr√©dito durante e no p√≥s-pandemia [de covid-19], e de risco de mercado nos recentes ciclos de eleva√ß√£o e de queda da taxa b√°sica de juros‚ÄĚ, explicou o BC.

Os ativos problem√°ticos levaram √† necessidade de aumento das provis√Ķes nos √ļltimos anos, que s√£o as reservas que os bancos fazem para pagamento das d√≠vidas de cr√©dito (calotes).

‚ÄúO aumento do comprometimento de renda das fam√≠lias, a redu√ß√£o da capacidade de pagamento das empresas e, por √ļltimo, o caso Americanas foram os principais fatores que influenciaram o aumento dos ativos problem√°ticos no referido per√≠odo‚ÄĚ, diz o relat√≥rio.

Em 19 de janeiro de 2023, as¬†Lojas Americanas entraram em recupera√ß√£o judicial, com d√≠vidas declaradas de R$ 49,5 bilh√Ķes, ap√≥s a descoberta de fraudes cont√°beis.

Em 2021 e 2022, a companhia acumulou preju√≠zo de R$ 19,1 bilh√Ķes.

Segundo o BC, as despesas com provis√Ķes aumentaram em 2022 e 2023, mas apresentam sinais de estabiliza√ß√£o.

O crescimento desde o final de 2021 deu lugar a uma queda consistente das provis√Ķes no segundo trimestre de 2023, com estabiliza√ß√£o na segunda metade do ano.

‚ÄúA manuten√ß√£o da qualidade das concess√Ķes e a redu√ß√£o das estimativas de perdas nas carteiras das IFs resultam em menor necessidade de provisionamento. As provis√Ķes constitu√≠das s√£o consideradas adequadas, acima das estimativas de perdas esperadas‚ÄĚ, explicou a autarquia.

As diferenças de rentabilidade na comparação interanual também estão relacionadas à eficiência operacional, à gestão de risco pré-fixado na carteira de títulos e, de certa forma, aos efeitos do aumento da competição no Sistema Financeiro Nacional (SFN).

Concorrência

O Relat√≥rio de Economia Banc√°ria mostra continuidade da redu√ß√£o da concentra√ß√£o no SFN, processo que vem ocorrendo nos √ļltimos anos, e eleva√ß√£o do grau de concorr√™ncia no mercado de cr√©dito, enquanto a concorr√™ncia em servi√ßos financeiros ficou relativamente est√°vel.

‚ÄúA concentra√ß√£o diminuiu para todos os agregados cont√°beis considerados ativos totais, dep√≥sitos totais e opera√ß√Ķes de cr√©dito, envolveu o aumento da participa√ß√£o das cooperativas de cr√©dito e das institui√ß√Ķes n√£o banc√°rias, e ocorreu na maioria dos mercados relevantes de cr√©dito‚ÄĚ, diz o relat√≥rio.

De 2022 para 2023, a participa√ß√£o de mercado dos quatro maiores bancos Caixa Econ√īmica Federal, Banco do Brasil, Bradesco e Ita√ļ se reduziu em todos os agregados cont√°beis, de 87,8% para 87,6% nos ativos totais, de 91,2% para 90,7% nos dep√≥sitos totais e de 86,2% para 85,9% nas opera√ß√Ķes de cr√©dito.

‚ÄúEsse movimento pode ser associado √† atua√ß√£o das institui√ß√Ķes n√£o banc√°rias no mercado de cart√£o de cr√©dito e de cr√©dito sem consigna√ß√£o, ao passo que as cooperativas de cr√©dito, em 2023, destacaram-se por sua atua√ß√£o nos mercados de cheque especial e de capital de giro‚ÄĚ, explicou o BC.

As cooperativas de crédito eram responsáveis por 5,5% dos ativos totais no ano passado, contra 5,1% em 2022.

Nos dep√≥sitos, passaram de 6,4% em 2022, para 6,6% em 2023, e no caso do cr√©dito, esse grupo respondeu por 6,8% do total das opera√ß√Ķes em 2023, contra 6,3% do ano anterior.

O Dinheirama √© o melhor portal de conte√ļdo para voc√™ que precisa aprender finan√ßas, mas nunca teve facilidade com os n√ļmeros.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informa√ß√£o e atesta a apura√ß√£o de todo o conte√ļdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que n√£o faz qualquer tipo de recomenda√ß√£o de investimento, n√£o se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.