Home Empresas McDonald’s e CEO devem enfrentar alegações de preconceito racial de ex-executivo de segurança

McDonald’s e CEO devem enfrentar alegações de preconceito racial de ex-executivo de segurança

Chris Kempczinski, CEO do Mc, teria culpado os pais de uma menina baleada em um drive-thru do McDonald's por sua morte

por Reuters
0 comentário

Uma juíza federal em Chicago se recusou nesta terça-feira a rejeitar um processo movido contra o McDonald’s que acusa a empresa de expulsar um executivo negro depois que ele criticou o presidente-executivo da companhia, Chris Kempczinski, por aparentemente culpar os pais de uma menina baleada em um drive-thru do McDonald’s por sua morte.

A juíza distrital Linsday Jenkins disse que, embora o autor da ação Michael Peaster não tenha mencionado explicitamente a questão da raça durante uma reunião de 2021 com Kempczinski e outros executivos da empresa, o contexto em torno de seus comentários deixa claro que ele estava abordando uma conduta que envolve uma problematização racial.

“É razoável inferir que Peaster estava tentando falar em nome dos funcionários afro-americanos”, escreveu Jenkins.

Jenkins negou uma moção do McDonald’s e de Kempczinski para rejeitar as alegações de discriminação racial e retaliação de Peaster. A juíza rejeitou as alegações de que o McDonald’s criou um ambiente de trabalho hostil e causou intencionalmente sofrimento emocional a Peaster.

O McDonald’s não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Carmen Caruso, advogado de Peaster, disse que espera levar as reivindicações remanescentes a julgamento.

Kempczinski em 2021 enviou mensagens de texto para a então prefeita de Chicago, Lori Lightfoot, referindo-se à morte a tiros de uma menina de 7 anos em um McDonald’s de Chicago e a um incidente de violência armada envolvendo uma criança na cidade. “Com ambos, os pais falharam com as crianças, o que eu sei que é algo que você não pode dizer”, escreveu Kempczinski, de acordo com os autos do tribunal.

Kempczinski mais tarde se desculpou publicamente e disse que os textos “revelam minha estreita visão de mundo que tenho que trabalhar duro para corrigir”.

Em uma reunião de 2021 na sede corporativa do McDonald’s, Peaster, vice-presidente de segurança global, proteção e inteligência da empresa, disse que a resposta de Kempczinski ao incidente foi insuficiente.

Peaster alega que após a reunião, Kempczinski e outros executivos retaliaram contra ele, recusando-se a se encontrar com ele e tornando impossível para ele fazer seu trabalho. Ele foi demitido em novembro do ano passado por alegados problemas de desempenho, de acordo com seu processo.

Peaster está buscando indenização pela perda de seu emprego e sofrimento emocional, juntamente com danos punitivos.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.