Home Economia e Política Mercadante: Governo pode avançar na proteção siderúrgica

Mercadante: Governo pode avançar na proteção siderúrgica

"Se necessário, podemos avançar na proteção do setor siderúrgico brasileiro", disse Mercadante em evento da Firjan

por Reuters
0 comentário

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, afirmou nesta quinta-feira que o governo não descarta novas medidas para proteger o setor siderúrgico brasileiro, acrescentando que há claramente uma política de “dumping” no cenário comercial global.

“Se necessário, podemos avançar na proteção do setor siderúrgico brasileiro”, disse Mercadante em evento da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), que contava com a participação do vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, por vídeo.

No mês passado, o Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior do Brasil (Gecex) decidiu elevar para 25% o imposto de importação de 11 produtos de aço e estabelecer cotas de volume de importação para esses produtos, após meses em que a indústria siderúrgica cobrava medidas de proteção comercial.

Segundo Mercadante, as medidas de blindagem ao setor siderúrgico nacional preveem algumas contrapartidas, incluindo manutenção dos níveis de emprego pelas acearias, que também devem manter seus fornos ligados e produzindo e executar investimentos no setor.

O presidente do BNDES também disse que o governo vai monitorar os impactos do aumento da tarifa de importação para produtos de aços sobre a inflação do país e que pode flexibilizar a medida se houver pressão sobre os preços.

“A medida permite importações para regular o mercado; não podemos proteger a siderurgia e penalizar a indústria automobilística, máquinas e equipamentos”, argumentou.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.