Home Economia e Política Mercado vê corte do Fed em setembro após relatório de emprego

Mercado vê corte do Fed em setembro após relatório de emprego

A economia norte-americana abriu 175.000 empregos fora do setor agrícola no mês passado, informou o Departamento do Trabalho

por Reuters
0 comentário

Operadores elevaram as apostas de que o Federal Reserve realizará seu primeiro corte na taxa de juros em setembro, depois que um relatório do governo nesta sexta-feira mostrou que a abertura de vagas de trabalho nos Estados Unidos desacelerou mais do que o esperado em abril e os ganhos salariais anuais arrefeceram.

Os preços dos juros apontam para uma probabilidade de cerca de 71,4% de um corte nos juros na reunião do banco central dos EUA em meados de setembro, acima dos 63% registrados antes do relatório.

Probabilidades de corte em 18 de setembro

Fonte: CME Fed Watch Tool

Os operadores também estão agora precificando dois cortes de 25 pontos-base este ano, em comparação com um antes da divulgação dos dados.

Relatório de emprego

A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos desacelerou mais do que o esperado em abril e os ganhos salariais anuais arrefeceram, mas provavelmente é muito cedo para esperar que o Federal Reserve comece a cortar a taxa de juros antes de setembro já que o mercado de trabalho continua bastante apertado.

A economia norte-americana abriu 175.000 vagas fora do setor agrícola no mês passado, informou o Departamento do Trabalho em seu relatório de emprego nesta sexta-feira. Os dados de março foram revisados para cima, mostrando abertura de 315.000 empregos, em vez de 303.000 conforme informado anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters previam abertura de 243.000 vagas, com as estimativas variando de 150.000 a 280.000.

A taxa de desemprego subiu de 3,8% para 3,9%, permanecendo ainda abaixo de 4% pelo 27º mês consecutivo.

Os salários aumentaram 3,9% nos 12 meses até abril, após uma alta de 4,1% em março. O crescimento dos salários em uma faixa de 3,0% a 3,5% é considerado consistente com a meta de inflação de 2% do Fed.

Na quarta-feira, o banco central dos EUA deixou sua taxa de juros referência inalterada na atual faixa de 5,25% a 5,50%, onde se encontra desde julho.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.