Home Empresas Meta enfrenta pedido na UE sobre dados pessoais em IA

Meta enfrenta pedido na UE sobre dados pessoais em IA

O NOYB afirmou que enviou 11 reclama√ß√Ķes contra a Meta

por Reuters
0 coment√°rio

Um plano da Meta (META; M1TA34) de usar dados pessoais para treinar seus modelos de inteligência artificial (IA) sem buscar consentimento dos donos desses dados foi criticado pelo grupo de ativista NOYB nesta quinta-feira, que pediu para as autoridades da Europa interromperem esse uso.

O grupo NOYB (none of your business, “N√£o √© da sua conta”)  pediu aos √≥rg√£os nacionais de prote√ß√£o da privacidade para agirem imediatamente, dizendo que as recentes mudan√ßas na pol√≠tica de privacidade da Meta, que entram em vigor em 26 de junho, permitem o uso de anos de publica√ß√Ķes pessoais, imagens privadas ou dados de rastreamento online para treinamento de modelos de IA do controlador do Facebook e do Instagram.

O NOYB afirmou que enviou 11 reclama√ß√Ķes contra a Meta e pediu √†s autoridades de prote√ß√£o de dados na √Āustria, B√©lgica, Fran√ßa, Alemanha, Gr√©cia, It√°lia, Irlanda, Holanda, Noruega, Pol√īnia e Espanha para agirem com urg√™ncia.

A Meta rejeitou as cr√≠ticas do grupo e fez refer√™ncia a uma mensagem publicada pela empresa em 22 de maio em que afirma que usa informa√ß√Ķes online e licenciadas dispon√≠veis publicamente para treinar a IA, bem como informa√ß√Ķes que as pessoas compartilharam publicamente em seus produtos e servi√ßos.

No entanto, uma mensagem enviada aos usu√°rios do Facebook afirma que a Meta ainda pode processar informa√ß√Ķes sobre pessoas que n√£o usam seus produtos e servi√ßos nem t√™m uma conta, caso apare√ßam em uma imagem ou sejam mencionadas em publica√ß√Ķes ou legendas compartilhadas por um usu√°rio.

“Estamos confiantes de que nossa abordagem est√° em conformidade com as leis de privacidade, e nossa abordagem √© consistente com a forma como outras empresas de tecnologia est√£o desenvolvendo e melhorando suas experi√™ncias de IA na Europa (incluindo Google e Open AI)”, disse um porta-voz.

O grupo NOYB j√° apresentou v√°rias reclama√ß√Ķes contra a Meta e outras grandes empresas de tecnologia por supostas viola√ß√Ķes do Regulamento Geral de Prote√ß√£o de Dados (GDPR, na sigla em ingl√™s) da UE, que prev√™e multas de at√© 4% do faturamento global total de uma empresa em caso de viola√ß√Ķes.

O fundador do NOYB, Max Schrems, disse em um comunicado que o tribunal superior da Europa j√° havia decidido sobre essa quest√£o em 2021.

“A empresa est√° tentando usar os mesmos argumentos para o treinamento de uma ‘tecnologia de IA’ indefinida. Parece que a Meta est√°, mais uma vez, ignorando descaradamente os julgamentos do TJUE”, disse Schrems, acrescentando que a op√ß√£o de exclus√£o √© extremamente complicada.

“Transferir a responsabilidade para o usu√°rio √© completamente absurdo. A lei exige que a Meta obtenha o consentimento de opt-in, n√£o que forne√ßa um formul√°rio de opt-out oculto e enganoso”, disse Schrems, acrescentando: “Se a Meta quiser usar seus dados, ela precisa pedir sua permiss√£o. Em vez disso, eles fizeram os usu√°rios implorarem para serem exclu√≠dos.”

O Dinheirama √© o melhor portal de conte√ļdo para voc√™ que precisa aprender finan√ßas, mas nunca teve facilidade com os n√ļmeros.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informa√ß√£o e atesta a apura√ß√£o de todo o conte√ļdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que n√£o faz qualquer tipo de recomenda√ß√£o de investimento, n√£o se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.