Home Economia e Política Ministério de Minas e Energia propõe redistribuição de royalties da mineração

Ministério de Minas e Energia propõe redistribuição de royalties da mineração

O novo modelo, disse o ministério, é defendido há anos pelas associações de municípios mineradores e ampliará o retorno social

por Adriana Spacca Olivares Rodopoulos
0 comentário
(Imagem: REUTERS/Lunae Parracho//File Photo)

O Ministério de Minas e Energia enviou nesta quinta-feira à Casa Civil proposta de decreto prevendo redistribuição dos chamados royalties da mineração (Cfem), que poderá elevar os recursos para determinados municípios impactados por atividades de mineração e reduzir em outros nas áreas portuárias, informou a pasta em comunicado.

Com a medida, mais de 1.500 municípios brasileiros poderão ter aumento nos repasses da Cfem, oficialmente conhecida como Contribuição Financeira pela Extração Mineral.

O novo modelo, disse o ministério, é defendido há anos pelas associações de municípios mineradores e ampliará o retorno social para a população.

A proposta prevê aumentar de 50% para 55% os repasses às cidades cortadas por infraestruturas utilizadas para o transporte ferroviário de substâncias minerais, além de reajustar de 30% para 35% as compensações daquelas cidades onde estão localizadas estruturas de mineração que viabilizem o aproveitamento industrial da jazida, tais como pilhas de estéreis e de rejeitos, usinas de beneficiamento, bacias de rejeitos, entre outros, disse o ministério.

Já a compensação de municípios afetados por operações portuárias passaria dos atuais 15% para 5%, enquanto as cidades com minerodutos permaneceriam com 5% da compensação.

“A proposta prevê um reequilíbrio na distribuição para que tenha mais beneficiados, ampliando os ganhos do setor mineral para a sociedade”, disse em nota o ministro Alexandre Silveira, pontuando que “a proposta foi construída após amplo diálogo com parlamentares, prefeitos e representantes de associações de municípios mineradores de vários Estados”.

“O decreto atende uma demanda histórica das prefeituras, que tem muito a ganhar com uma mineração mais responsável e justa.”

A partir da proposta, 24 Estados brasileiros poderão ter municípios com aumento no repasse da Cfem, contemplando 1.521 municípios, segundo estudos do Ministério de Minas e Energia. Outras 32 cidades podem não sofrer qualquer tipo de alteração nos valores, enquanto 28 municípios poderão sofrer redução no repasse.

“Os municípios que são cruzados por ferrovias por onde passam o minério não geram empregos associados à atividade, mas tem grande parte da área impactada. E as estruturas de mineração um dia deixarão de existir após a extração do minério. Mas a atividade portuária, além de gerar emprego e renda, tem outras fontes de receita associadas e perenes”, disse também na nota o secretário de Geologia, Mineração e Transformação do Ministério de Minas e Energia, Vitor Saback.

Após a edição do decreto pela Casa Civil, caberá a Agência Nacional de Mineração (ANM) a regulação do tema, ressaltou o ministério.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.