MBA Barsi
MBA Barsi
Home Economia e Política Moraes era “professora” em Golpe e seria preso por “kids pretos”; veja conversas

Moraes era “professora” em Golpe e seria preso por “kids pretos”; veja conversas

Caberiam às Forças Especiais do Exército (os chamados Kids Pretos) a missão de efetuar a prisão do ministro Alexandre de Moraes

por Gustavo Kahil
0 comentário
Kids Pretos

Um trecho da decisão do ministro do STFAlexandre de Moraes, em que autoriza a operação da Polícia Federal para apurar a tentativa de golpe de Estado revela que o general Estevam Theophilo Gaspar de Oliveira, ex-comandante do Comando de Operações Terrestres (COTER) e responsável pelo emprego do Comando de Operações Especiais (COpESP) teria consentido com a adesão ao Golpe de Estado desde o que ex-presidente Jair Bolsonaro assinasse a medida.

Estevam Theophilo Gaspar de Oliveira
General Estevam Theophilo Gaspar de Oliveira, atual comandante do Comando de Operações Terrestres (COTER) (Imagem: Comando da 10ª Região Militar)

Caberiam às Forças Especiais do Exército (os chamados Kids Pretos) a missão de efetuar a prisão do Ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes assim que o decreto fosse assinado. O 1º Batalhão de Ações de Comandos seria o setor do exército que seria encarregado de cumprir a prisão de Moraes.

Marcelo Costa Câmara, Coronel do Exército da reserva, com formação nas Forças Especiais (FE) e ex-Assessor Especial da Presidência da República, considerado um dos assessores mais próximos de Bolsonaro, era o responsável por um núcleo de inteligência não oficial e possuía desde o dia 15 de dezembro de 2022 o itinerário exato de deslocamento pelos próximos 15 dias de Moraes.

MBA Barsi 06/02/2024

Câmara foi considerado o responsável por um núcleo de inteligência não oficial do ex-presidente, atuando na
coleta de informações sensíveis e estratégicas para a tomada de decisão Bolsonaro.

Mauro Cid
Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (Imaegem: Geraldo Magela/Agência Senado)

“Professora”: o codinome de Moraes na operação

Neste dia 15, às 11h27, Câmara envia uma mensagem a Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro: “Trabalhando”.

Às 16h12, Cid pergunta: ” Algo?”.

No dia seguinte, Câmara encaminha mensagem com o itinerário de uma pessoa:

“Viajou para São Paulo hoje (15/ 12), retorna na manhã de segunda-feira e viaja novamente pra SP no mesmo dia. Por enquanto só retorna a Brasília pra posse do ladrão. Qualquer mudança que saiba lhe informo”.

Nos dias 21 e 24 (Natal), Cid questiona novamente: ”Por onde anda a professora?”.

Câmara responde confirmando a localização em São Paulo e informa: ”volta no dia 31 a noite para posse”.

Questionado por Cid se “Na capital ou no interior?”, Câmara responde: “Na residência em SP eu não sei onde fica’.

A investigação constatou que os deslocamentos entre Brasília e São Paulo de Moraes são coincidentes com os da pessoa que estava sendo monitorada e acompanhada pelo grupo.

Veja a íntegra da decisão de Moraes, com toda a investigação

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Faça parte da rede “O Melhor do Dinheirama” com as melhores análises e notícias

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.