Nossa coluna de mundo digital e tecnologia chegou com informações alarmantes de vazamentos de dados do Yahoo!

Também não ficamos nada contentes com dados falsos da audiência dos vídeos passados pelo Facebook nos últimos dois anos. Confira.

Yahoo! Confirma vazamento de dados de 500 milhões de contas

O Yahoo! confirmou nesta quinta-feira (22) o vazamento de dados de pelo menos 500 milhões de contas de usuários, que foram roubados da rede da empresa por hackers no final de 2014, segundo comunicado divulgado.

A empresa diz que o ataque foi cometido por um hacker patrocinado por um governo. A investigação em curso não encontrou evidências de que o hacker ainda esteja na rede do Yahoo!, que afirmou estar trabalhando em conjunto com as forças da lei para resolver a questão.

Entre as informações vazadas, estariam nomes, endereços de e-mail, números de telefones, datas de nascimento, senhas criptografadas e, em alguns casos, perguntas e respostas de segurança encriptadas ou descriptografadas.

Em breve whatsapp pode ganhar proteção por senha

O WhatsApp pode ganhar em breve uma opção extra de segurança. De acordo com o site Android Authority, o aplicativo está trabalhando em uma atualização que pode proteger o usuário através de uma senha de seis dígitos – tal como uma conta bancária, por exemplo.

Segundo o site, a notícia surgiu a partir de um programador contratado para traduzir frases e contextos do programa do inglês para o holandês.

Webcurso gratuito recomendado:  Tudo o que você precisa saber sobre Tesouro Direto

Entre as frases, estão sentenças como “Insira a senha atual de seis dígitos”, “Senhas não combinam, tente de novo” e até mesmo “Digite o e-mail de recuperação em breve”.

Outra linha de comandos, por sua vez, sugere que o tal e-mail de recuperação – recurso que pode ser usado caso você esqueça sua senha – poderá ser opcional.

Ter essa alternativa, no entanto, é uma boa opção, impedindo que você deixe de trocar mensagens com seus amigos só porque esqueceu uma senha. No caso do WhatsApp, isso seria ainda pior, porque cada conta está atrelada a um número telefônico.

Facebook inflou dados de visualizações de vídeos por dois anos

O Facebook está enfrentando a insatisfação dos anunciantes depois de ter reconhecido que vinha inflando dados sobre a visualização de vídeos há pelo menos dois anos.

A companhia define que um vídeo tenha sido visto quando o internauta passa três segundos com ele rodando. Só que houve uma confusão entre essa definição e o que acontece na realidade.

Isso porque a ferramenta que calcula a média de tempo gasto pelos usuários assistindo aos vídeos, levava em conta apenas os que tivessem sido vistos por mais de três segundos. Os demais eram ignorados, o que produzia resultados falsos.

A confusão foi notada há algumas semanas e já foi corrigida, segundo informa o Facebook em nota. Apesar de a rede social afirmar que o problema não envolveu cobranças indevidas, ele certamente levou anunciantes a julgar erroneamente a sua audiência, algo que impacta diretamente no tamanho do investimento a ser feito na plataforma de publicidade em vídeo.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários