A nossa coluna semanal de tecnologia, mundo digital e empreendedorismo chegou! O destaque é o novo recurso de videochamada que o aplicativo WhatsApp liberou para seus usuários.

WhatsApp libera recurso de videochamada para todos os usuários

Anunciado em outubro, o recurso de videochamadas começou agora a ser liberado para todos os usuários do WhatsApp, segundo informações fornecidas pela empresa, nesta semana, em seu blog.

Como costuma acontecer com novidades deste tipo, o lançamento da ferramenta será feita de forma gradual e pode levar alguns dias até que você receba a novidade no seu smartphone Android, iOS ou Windows Phone.

O recurso de videochamada no WhatsApp é bastante simples de usar. Basta selecionar um dos seus contatos no aplicativo, navegar até o botão de ligação e então tocar na opção “Videochamada” (“Video call”).

Para conseguir fazer a chamada de vídeo, é preciso que os dois usuários tenham suporte para o recurso.

Ferramenta gratuita recomendadaDinheirama Organizze: seu aplicativo de controle financeiro

LinkedIn é bloqueado pelo governo da Rússia

A rede do LinkedIn acaba de ficar um pouco menor: o órgão regulador de comunicações da Rússia ordenou o bloqueio da rede social profissional no país, nesta quinta-feira (17).

O órgão, chamado de Roskomnadzor, emitiu a ordem após um tribunal de apelações de Moscou ter mantido na semana passada uma decisão de que o LinkedIn violou as leis de privacidade russas.

O tribunal do distrito de Tagansky decidiu contra o LinkedIn no último dia 4 de agosto, após uma reclamação do serviço federal russo de supervisão de comunicações, tecnologia da informações e mídia em massa.

Eles alegam que as atividades da rede social violaram uma lei que exige que empresas que lidam com dados pessoais dos russos processem esses dados na Rússia.

O Roskomnadzor afirmou que deu entrada no processo após o LinkedIn deixar de responder os dois pedidos por informações sobre os seus planos de realocar os dados para a Rússia. O LinkedIn não é a única empresa americana que foi atingida pela legislação.

Podcast recomendadoO seguro de vida é um ato de amor à família

Smartphone ainda é o presente mais desejado pelos consumidores brasileiros

Apesar de a crise econômica ter reduzido o poder de compra do brasileiro no último ano, o desejo de comprar um smartphone – ou de trocar o atual por um mais avançado – não cessou.

Com a aproximação do período de promoções que começam com a Black Friday, em 25 de novembro, e terminam com o Natal, muitas pessoas estão vendo uma oportunidade de, finalmente, viabilizar a compra.

Não é de hoje que os smartphones estão no topo da lista de desejos dos brasileiros. De acordo com a empresa de pesquisa eBit, eles movimentaram R$ 360 milhões em vendas em sites de comércio eletrônico durante a Black Friday em 2015.

Para este ano, segundo pesquisa encomendada pelo Google em agosto, os smartphones se mantém no topo da lista de produtos que as pessoas planejam comprar na Black Friday, com 44% das intenções de compra, à frente de calçados e roupas femininas.

No total, 57% dos entrevistados afirmaram que planejam comprar um smartphone nos seis meses posteriores à pesquisa – o que abrange as celebrações de Natal e Ano Novo.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários