Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais de tecnologia, empreendedorismo e cultura digital. Nosso destaque é o documento divulgado pela ONU, que fala sobre a conectividade mundial. Confira!

Quase metade do mundo está conectado à Internet, afirma ONU

De acordo com o documento da União Internacional de Telecomunicações da ONU, aproximadamente 3,5 bilhões de pessoas (47%) navegam pela web atualmente – ou seja, 3,9 bilhões de pessoas ainda continuam fora do mundo online.

Apesar de alto, esse número ainda está distante da meta de 60% para 2020 da Organização das Nações Unidas.

Como esperado, os números variam de acordo com os países e a maior parte do acesso continua concentrado nos locais mais ricos.

Nas nações desenvolvidas, por exemplo, cerca de 80% da população usa a Internet, enquanto que nos países em desenvolvimento esse número cai pela metade (40%).

Por fim, nos países menos desenvolvidos apenas 15% das pessoas possui acesso à web.

Canal de áudios recomendado: DinheiramaCast, o seu podcast de educação financeira

Tesla conclui compra da SolarCity por US$ 2,6 bilhões

A Tesla confirmou nesta segunda-feira (21) que concluiu a aquisição da SolarCity por US$ 2,6 bilhões.

É mais um passo de Elon Musk para dominar o mercado de energia limpa, fundindo uma montadora de carros elétricos com uma instaladora de painéis solares. O acordo já havia recebido a aprovação da maioria dos acionistas na quinta-feira (17).

A expectativa com a fusão das empresas é economizar US$ 150 milhões em 2017.

Os consumidores também devem gastar menos dinheiro com componentes e custos de instalação: a ideia é oferecer soluções de energia solar com um único contrato e dentro de um único aplicativo, juntando os painéis de energia solar da SolarCity com as baterias recarregáveis Tesla Powerwall.

Novo recurso do WhatsApp vai mudar a reprodução de vídeos

O WhatsApp começou a testar uma função que vai facilitar a reprodução de vídeos dentro do aplicativo.

Não será mais necessário fazer download de um vídeo recebido para poder assisti-lo porque o app terá um recurso de streaming, funcionando de forma semelhante ao YouTube.

Com o novo recurso os usuários não precisam esperar o tempo de download para só depois conferir um conteúdo que lhes foi enviado.

Era uma reclamação antiga dos usuários, que muitas vezes precisavam baixar o vídeo inteiro só para descobrir que o conteúdo não valia o tempo e os dados gastos com o download.

O recurso está disponível atualmente apenas para dispositivos Android na versão beta do aplicativo, mas não deve demorar muito para que a novidade comece a ser distribuída para outras plataformas.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários