Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais de tecnologia, empreendedorismo e cultura digital.

Nosso destaque é o número de reclamações de usuário que utilizam o Uber que dispararam em 2016.

Reclamações contra o Uber disparam no Brasil em 2016

As reclamações contra o Uber no Brasil dispararam em 2016, quando a empresa expandiu sua atuação de forma considerável no país, onde está disponível em quase 40 cidades atualmente.

Segundo o site especializado em defesa ao consumidor Reclame Aqui, o aplicativo de transporte privado recebeu 20.601 reclamações apenas nos últimos seis meses, enquanto que nos últimos 12 meses foram um total de 25.675 reclamações.

Para efeito de comparação, em todo o ano de 2015 foram apenas 1.360 reclamações.

Uma possível explicação para esse crescimento gigantesco nas reclamações é sim a expansão considerável do Uber pelo Brasil. Entre janeiro e dezembro deste ano, por exemplo, a empresa ampliou sua atuação de 5 para 39 cidades do país.

E não é apenas isso, o número de usuários ativos do Uber no país cresceu significativamente entre outubro de 2015 e outubro de 2016, quando subiu de 500 mil para 4 milhões.

Coincidência ou não, cresceram no período as reclamações sobre a queda de qualidade do serviço do Uber, que era justamente um dos diferenciais da empresa, que também viu seu número de concorrentes disparar no Brasil com a chegada do Cabify e a entrada de apps táxi como 99 e Easy no segmento de transporte privado em carros particulares.

Aplicativo gratuito recomendado: Controle suas finanças na palma da mão com o DinheiramaOrganizze

Caixa de som inteligente da Amazon esgota nos EUA antes do Natal

A caixa de som inteligente Echo, fabricada pela Amazon, está esgotada tanto nas lojas físicas como no site da empresa, alguns dias antes do Natal.

Um dos produtos mais inovadores dos últimos tempos, ela permite usar a assistente pessoal Alexa em vários ambientes da casa para fazer pedidos como tocar música, ditar uma receita, entreter as crianças, além de controlar luzes e outros dispositivos conectados à internet. O produto custa US$ 180.

De acordo com o site da revista norte-americana Fortune, ao fazer um pedido da versão do produto na cor preta por meio do site da Amazon, o consumidor precisa esperar a entrega, pelo menos, até 19 de janeiro de 2017 — para frete internacional, o prazo pode variar.

No caso da versão na cor branca, a espera até a entrega vai até 30 de dezembro. Há ainda, uma versão pequena do Echo, chamada Echo Dot, que só voltará ao estoque em 27 de dezembro.

O Echo é um alto-falante inteligente que traz a Alexa, uma assistente pessoal que responde a comandos de voz. Ela é capaz de, por exemplo, responder perguntas, reproduzir músicas, criar listas de tarefas, configurar alarmes, ler notícias e livros e ainda dar informações sobre clima e trânsito.

Canal de vídeos recomendado: TV Dinheirama, o seu canal de educação financeira

Governo não desistiu de mudança que pode acabar com Nubank

O governo mostrou que o Nubank ainda não está confortável o suficiente para assegurar sua permanência no Brasil.

Isso porque a equipe econômica de Michel Temer não recuou em relação às mudanças que planeja aplicar no setor de cartões de crédito — as mesmas mudanças que fizeram a empresa ameaçar fechar as portas.

Em encontro com jornalistas na manhã da última quarta-feira, 21, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, informou que o governo ainda pretende diminuir de 30 para dois dias o prazo que as operadoras de cartão de crédito têm para pagar os lojistas após cada compra.

Segundo ele, a medida deve sair dentro dos próximos 30 dias por meio de uma resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN), mas pode não ocorrer caso as empresas se proponham a diminuir suas taxas de juros.

O cronograma continua rigorosamente. As medidas serão tomadas de uma forma ou de outra. O importante é que o custo para o consumidor seja menor.

Existe um instrumento do CMN para encurtar o prazo [de pagamento ao lojista]. Os bancos definem os juros. Vamos observar a queda. Se não houver queda, diminuímos o prazo”, declarou o ministro, conforme reporta a Agência Brasil.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários