Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque é o boicote de algumas marcas que estão deixando de anunciar no YouTube.

Aplicativo gratuito recomendado: Controle suas finanças na palma da mão com o DinheiramaOrganizze

Boicote ao YouTube divide grandes anunciantes no Brasil

Iniciado no Reino Unido e alcançando hoje centenas de marcas pelo mundo, o boicote à publicidade no YouTube, do Google, para evitar que os anúncios sejam veiculados junto a vídeos com discurso de ódio e até terrorismo, ainda divide os grandes anunciantes brasileiros.

Consultado, o Banco Itaú diz que continua na plataforma, mas atento: “Apesar de nossos anúncios não terem sido veiculados em espaços inadequados, estamos acompanhando de perto a situação e acreditamos que o Google tomará todas as medidas necessárias para que exposições desse tipo não voltem a acontecer”.

A instituição financeira acrescenta que “repudia qualquer tipo de ligação direta ou indireta com manifestações que incitem ódio e discriminação”.

Já a PepsiCo responde ter deixado de veicular publicidade no YouTube no Brasil: “Ficamos preocupados e desapontados com a inserção de anúncios de nossas marcas em vídeos que promovem o ódio e têm conteúdo ofensivo. Tomamos medidas imediatas para remover toda a publicidade de plataformas que não sejam de busca até que o Google possa garantir que não aconteça novamente.”

eBook gratuito recomendado: Freelancer – Liberdade com muito trabalho e resultados

Amazon vai transmitir on-line jogos de futebol americano da NFL

A Amazon vai transmitir ao vivo jogos da NFL (Liga Nacional de Futebol Americano) neste ano, disse um porta-voz da companhia, marcando uma importante investida da varejista on-line para atrair fãs para seu serviço de compra prime e clube de reprise de vídeos.

Como parte do acordo, a Amazon vai transmitir on-line 10 jogos de quinta-feira à noite exclusivamente para seus membros prime. Os mesmos jogos serão transmitidos pelas emissoras CBS e NBC na televisão.

A Amazon venceu o Twitter, o Facebook e o YouTube, do Google, pelos direitos de distribuição digital, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto. A companhia baseada em Seattle concordou em pagar à NFL cinco vezes mais do que o Twitter pagou pelos direitos no ano passado, que foi declarado como US$ 10 milhões de dólares, de acordo com informações da agência.

eBook gratuito recomendado: Pai, Dinheiro!

Empresa de e-commerce recebe pagamentos via chat de rede social

A tecnologia que permite fazer pagamentos dentro do chat do Facebook, tendência no varejo mundial desde a metade do ano passado, chegou ao mercado brasileiro.

O e-commerce Shop Fácil.com, do Grupo Bradesco, anunciou o primeiro chatbot (robô de chat) brasileiro para compras no Messenger, aplicativo da rede de Mark Zuckenberg.

“Conversando” com o robô, é possível escolher o produto e realizar o pagamento dentro do próprio chat, com um cartão da bandeira Visa, sem uso de links externos ou autenticação, bastando ter cadastro no site da loja.

O chatbot é uma grande aposta do varejo on-line para baratear e customizar o atendimento ao cliente via internet. Usando de inteligência artifical e linguagem natural, o robô é capaz de aprender com as interações que tem com o usuário, desenvolver novas rotinas e aumentar vocabulário.

O bot da Shop Fácil oferece opções de “atendentes”, com diferentes perfis e linguagens, que busca o produto na loja e consulta o cadastro do cliente para, em poucos cliques, concluir a compra. A autenticação é feita pelo usuário inserindo o número de segurança do cartão.

Segundo a empresa, foram mais de 117 mil interações com o robô desde que o produto foi lançado, em fevereiro. A expectativa é dobrar as vendas da empresa com a implementação.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários